Mais uma vez Gustavo Bebianno cria um novo factoide para tentar ficar em evidência (veja o vídeo)

Na época em que cursei minha pós-graduação, lá em 2001/2002, li praticamente toda a doutrina de Sergio Bermudes. Junto com Fux, ele é, de fato, um dos meus ídolos do processo.

Como especialista em Direito Processual Civil, já tive a oportunidade de escrever mais de 20 artigos relacionados ao tema, publicados em livros. Isso foi lá nos anos 2000; mas já larguei essa minha (parca) carreira de doutrinador de Direito. Minha vida tomou outro rumo.

Mas continuo admirando Sergio Bermudes e sua obra. E na verdade admiro muito o seu escritório de advocacia, que é um verdadeiro império. Sempre, desde que comecei minha vida de advogado, há mais de 20 anos, achei as petições que os advogados de lá faziam um primor; aprendi muito, quando me deparava com algum caso no qual eles estavam do outro lado.

Por isso que ao ler, agora, que Gustavo Bebianno, “prata da casa” do escritório Sergio Bermudes, depois de “consultar juristas”, estuda ajuizar uma Ação de Interdição do Presidente da República por conta de uma entrevista por este concedida, em que sequer o nome daquele foi citado, eu concluo que:

(i) ou Bebianno está agindo sozinho nisso, sem o respaldo jurídico do escritório Sergio Bermudes e a orientação do seu velho mentor, pela evidente teratologia da tese jurídica, que destruiria a reputação de qualquer advogado nos meios forenses;
(ii) ou, caso o escritório Sergio Bermudes esteja se envolvendo com essa ação que Bebianno diz que vai ajuizar, passou ele mesmo a fazer outro tipo de advocacia, bem distante daquela que eu sempre admirei.

Mas no fundo todos sabemos que Bebianno não vai ajuizar ação alguma. Está apenas falando factoides por aí, na mídia que ainda lhe dá espaço, para tentar se manter em evidência.

Comentários