A "Porta dos Fundos" e o estado de cólica da esquerda e da isentosfera

A esquerda e a isentosfera estão em cólicas, devido à decisão da justiça, que ordenou que a Netflix retirasse do ar o “Especial de Natal” do “Porta dos Fundos”.

O principal argumento, contra a ordem, é a “liberdade de expressão”, seguido pelos “direitos democráticos”. Afinal, a proibição da exibição é “censura”.

Sinto muito, caros canalhas, mas NÃO É!

A nossa Constituição Federal, em seu Art. 5º, inciso VI, garante a PROTEÇÃO aos locais de culto e às LITURGIAS.

O nosso Código Penal, em seu Art. 208, prevê o CRIME de VILIPENDIAR PUBLICAMENTE ATO OU OBJETO DE CULTO RELIGIOSO.

Ou seja, o que a justiça fez foi GARANTIR DIREITOS CONSTITUCIONAIS e PUNIR CRIMINOSOS. Exatamente a função que lhe cabe.

Liberdade de expressão TEM LIMITES, estabelecidos por LEI, e estes devem ser respeitados.

“A liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis permitem; se um cidadão pudesse fazer tudo o que elas proíbem, não teria mais liberdade, porque os outros também teriam tal poder.” (SECONDAT, Charles-Louis de)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários