Bolsonaro pretende enfrentar o ”monopólio” das distribuidoras, para baixar o preço do combustível (veja o vídeo)

Nesta quinta-feira, 9, o presidente Jair Bolsonaro, anunciou - em sua live semanal no facebook - que tentará acabar com o “monopólio” existente no setor de combustíveis. A idéia do presidente é baixar o preço final do etanol e gasolina.

“Estou trabalhando para que o etanol produzido em refinarias, possa ser vendido diretamente a postos de combustíveis. [Tirando] do meio do caminho um “monopólio”, que são as distribuidoras”, disse Bolsonaro.

O presidente salientou que, o fato de existir essas distribuidoras encarece muito o valor do etanol. Segundo Bolsonaro, o combustível que sai das usinas, tem de ser levado - muitas vezes - a distribuidoras que ficam a 300 km ou mais, e posteriormente retornar a postos de combustíveis que ficam perto de usinas onde foi produzido o etanol.

Esse processo além de burocrático, faz aumentar o valor.

“O etanol vai chegar mais barato na ponta da linha… 20 centavos é pouco, mas to fazendo a minha parte, é o que posso fazer. Agora, o que pretendo fazer é que o ICMS seja cobrado do preço do combustível na refinaria e não no final, na bomba de gasolina”, afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que o processo de cobrança do ICMS na refinaria, iria baixar ainda mais o valor, pois a média da taxa nos estados é 30%, e é cobrado em cima do valor final. Mudando esse processo, a taxação seria mais branda a empresários donos de postos, fazendo-os ter a possibilidade de baixar o preço final ao consumidor.

O presidente, reiterou que o valor do ICMS não pode ser mudado, pois a taxa pertence aos estados.

O valor da gasolina também teria reajuste, pois contém uma porcentagem de etanol.

Confira:

da Redação

Comentários