Amoêdo defende Porta dos Fundos e Bia Kicis responde com veemência: “Vilipêndio de fé alheia é crime”

Na última quarta-feira, 8, o empresário e ex-candidato a presidência, João Amoêdo (NOVO), falou sobre a retirada do especial de natal - feito pelo canal do Youtube Porta dos Fundo - “A Primeira Tentação de Cristo”, da plataforma Netflix.

“Não vi e não pretendo ver o filme. Porém, a censura de algo que não viola nenhuma lei é um ataque à liberdade de expressão que nos aproxima de países autoritários e distância dos que deram certo”, escreveu Amoêdo.

O empresário ainda salientou que o estado existe para proteger o direito da “menor minoria: o indivíduo”.

A deputada federal, Bia Kicis (PSL-DF), não gostou do comentário do ex-presidenciável, e respondeu a postagem.

“Primeiro que não é censura, pois a censura há que ser prévia; segundo que o conteúdo do filme viola sim a lei penal”, disse a deputada.

O longa metragem em questão, satiriza o cristianismo e as demais religiões, pois coloca a imagem de Jesus como homossexual e põe Deus, Maria e José em um triângulo amoroso.

“Vilipêndio de fé alheia é crime e impedir ou punir um crime está longe de ser censura; é dever do Estado”, concluiu Bia Kicis.

Confira a postagem:

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários