Recuo de Macron com relação a previdência é meramente estratégico, para "acalmar" sindicalistas

Situação complicadíssima a de Emmanuel Macron.

O presidente da França recuou com o pedido de aumento da idade para aposentadoria, de 62 para 64 anos. Porém, ao que tudo indica, a decisão é provisória e servirá apenas para “acalmar os ânimos’.

Sindicatos fizeram pressão no atual governo francês, por isso essa decisão.

Todavia, em uma carta enviada a líderes sindicalistas - que protestaram com milhares de pessoas um dia antes - o primeiro-ministro da França, Edouard Philippe, escreveu:

“O compromisso que ofereço me parece a melhor forma de reformar pacificamente nosso sistema de aposentadorias.”

Philippe, salientou que para o cancelamento definitivo da proposta é preciso um acordo de “equilíbrio e o financiamento das aposentadorias”, durante uma reunião com os sindicalistas.

Se porventura não chegar a um acordo, o governo “adotará por decreto as medidas necessárias para alcançar o equilíbrio até 2027”.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários