Perversidade revelada: organização criminosa do ex-governador Ricardo Coutinho comprava votos com exames médicos

Na última segunda-feira, 13, o Ministério Público da Paraíba (MP-PB), apresentou uma série de acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e outros crimes contra 25 pessoas no estado, entre as quais, o ex-governador Ricardo Coutinho.

Coutinho sempre dizia em suas campanhas políticas que era “o político mais honesto da Paraíba”. A máscara caiu mais uma vez.

Todos os acusados fazem parte de uma organização criminosa que visava praticar atos ilícitos por meio de áreas da saúde e de contratos na educação.

Segundo o MP-PB, o grupo mantinha um modelo de governança regado por corrupção internalizado nos bastidores dos Poderes Executivo e Legislativo do estado da Paraíba, e que se destacou a partir da ascensão de Ricardo Coutinho ao governo estadual.

Uma das partes denunciadas que mais chamaram a atenção, foi o fato dos políticos em questão trocarem “votos por exames hospitalares”.

“(vi) A lesividade da atuação desta empresa criminosa pode ser retratada, com maior nitidez, diante da prática de diversos atos revelados pelos colaboradores, consubstanciados em crimes autônomos, podendo destacar, como exemplos: Preenchimento de cargos nos hospitais geridos pelas OSs e realização de exames por indicação de agentes políticos da base do Governo para a angariar votos nas eleições, como forma disfarçada para complementação da propina para manutenção da base política”, afirma o documento.
da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários