A imprensa horrorizada com uma citação, mas que se utiliza dos ideais do personagem

Tempos estranhos.

Alvim errou. Errou feio. Uma frase de Goebbels é irreproduzível. Traz à tona um dos episódios mais vergonhosos da humanidade.

Perdeu o cargo, massacrado por uma imprensa horrorizada, que se surpreende com uma citação, mas não se abstém de utilizar, diuturnamente, os ideais do mesmo personagem.

Joseph Goebbels, o ministro da propaganda nazista, foi quem ensinou a estratégia primária da esquerda, na guerra cultural: "Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade".

Pergunto, então: O que demonstra mais admiração? Palavras ou atitudes?

Mídia e militância, incessantemente, utilizam-se desta máxima, para atacar adversários ou reescrever a própria história.

Foi assim, exatamente assim, que Bolsonaro virou o homofóbico que nunca agrediu um gay; o racista melhor amigo de um negro; o torturador que nunca torturou; o assassino sem nenhum homicídio.

Foi assim, também, que o próprio Hitler, que se declarava socialista e anti-capitalismo, tornou-se símbolo da extrema direita; que o Holodomor, um genocídio maior que o holocausto, foi negado; que Che Guevara, um psicopata homicida, passou a estampar camisetas e ideias; que Mandela, torturador e assassino, virou um ícone mundial da paz.

Hoje, os discípulos de Goebbels, mais uma vez, mostraram a força de sua teoria.

Em um vídeo de 6 minutos, atentaram-se somente a UMA FRASE e utilizaram desta narrativa para derrubar um Secretário de Estado.

Propositalmente, ignoraram todo o conteúdo. O PRÊMIO NACIONAL DAS ARTES, projeto genial de Alvim para o resgate da cultura brasileira, tão abandonada e massacrada nas últimas décadas, tornou-se irrelevante.

A cultura é um dos principais pilares a serem dominados, na guerra ideológica.

É através dela que mantemos ou destruímos toda a identidade de um povo. Por isso a esquerda tanto faz questão de deturpar a arte e extinguir o belo.

Massacrando adversários e tomando para si a hegemonia do bem, eles venceram mais uma.

Se alguém tem dúvidas de como os nazistas conseguiram o apoio de todo um país, para cometer as atrocidades que cometeram, hoje nós tivemos uma lição prática.

Diabolicamente eficiente.

"Os fascistas do futuro chamarão a si próprios de antifascistas." (CHURCHILL, Winston)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários