Revista Exame tenta vincular Nazismo aos liberais e, desmascarada, não responde a Marcel van Hattem

Nesta sexta-feira, 17, a Embaixada da Alemanha no Brasil repudiu o discurso do então secretário da cultura Roberto Alvim, já demitido por Jair Bolsonaro. Em uma publicação na sua conta do Twitter, a Embaixada declarou:

"O período do nacional-socialismo é o capítulo mais sombrio da história alemã, trouxe sofrimento infinito à humanidade. A Alemanha mantém sua responsabilidade. Opomo-nos a qualquer tentativa de banalizar ou mesmo glorificar a era do nacional-socialismo".

Entretanto, a revista Exame republicou a nota substituindo o termo “socialismo” por “liberalismo”, numa tentativa torpe de desvincular o Nazismo de suas origens coletivistas e estatistas de esquerda e vinculá-lo ao liberais de direita. Mais tarde, a publicação foi alterada.

O deputado Marcel van Hattem (NOVO-RS) cobrou explicações da revista.

“Presidente @jairbolsonaro acerta ao demitir Alvim com rapidez. A @exame deveria seguir o exemplo e mandar pra rua um jornalista tão mau caráter e militante a ponto de conseguir “copiar” o conteúdo de aspas errado. Que acinte! Ou a Exame será conivente com tal barbaridade?”

Sem resposta, o deputado tornou a questionar se a revista não iria se pronunciar.

Até o momento não houve resposta.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários