O ministro da cultura e a apologia às drogas na era petista (veja o vídeo)

A esquerda está "horrorizada" com o convite feito por Bolsonaro à atriz Regina Duarte, para assumir a Secretaria Especial de Cultura, que antes era o Ministério da Cultura.

Regina Duarte é uma pessoa íntegra e uma grande profissional que, como a eterna "namoradinha do Brasil", dedicou sua vida para a arte. Diferentemente de muitas das atrizes atuais, Regina nunca se viu envolvida em escândalos e muito menos foi uma militante da esbórnia. Também não se submeteu aos "testes do sofá" e nem se prostituiu para conseguir um papel, como muitas aí fizeram. A dignidade de Regina Duarte é inatacável, inigualável e inatingível.

Como recordar é viver, gostaria de voltar um pouco no tempo e lembrar da época em que o Ministro da Cultura no governo Lula era ninguém mais e ninguém menos do que o cantor Gilberto Gil. Aliás, segundo consta e na opinião de muitos dos seus próprios colegas, um péssimo Ministro da Cultura que não fez nada por sua pasta. Só tirou uma onda de "otoridade".

Pois bem... Gil dividia seu tempo entre o Ministério em Brasílla e os palcos em que se apresentava como cantor. A grande imprensa esquerdista babava. Para puxar o saco do Ministro-Artista, convidavam a sua filha, Preta Gil, para tudo o que é programa de televisão. Mesmo não tendo nenhum talento, era uma figurinha carimbada na programação da Globo, aparecendo no Serginho Groisman, Faustão, Vídeo Show, Fantástico... Só não aparecia no Picapau porque não dava.

Um ano antes de ser nomeado Ministro, o cantor lançou o álbum "Kaya N’gan Daya", que em bom português, para quem não sabe, pode ser lido como MACONHA NA BADERNA. Kaya é só mais um dos nomes da maconha, e já fora utilizado por Bob Marley em suas músicas.

O álbum de Gil foi gravado na Jamaica em homenagem a Bob Marley, e do título à letra da música de mesmo nome, o que se viu foi uma ode à erva do capeta, numa inequívoca apologia ao incentivo e uso da droga. Bonito um Ministro da Cultura que faz apologia às drogas, não é?

A imprensa não deu um pio. Sabe o que é mais legal ainda? Nem a Polícia Federal, Ministério Público, nem o STF e nenhum parlamentar... Absolutamente NINGUÉM questionou o então Ministro sobre o assunto. Agora a ruim é a Regina Duarte.

Pra que vocês não tenham qualquer dúvida a respeito do que estou falando, aí vai a letra da música:

KAYA N'GAN DAYA

Gilberto Gil

Wake up and turn loose (acorde e solte-se)

Wake up and turn loose (acorde e solte-se)

Wake up and turn loose (acorde e solte-se)

For the rain is falling (Pois a chuva está caindo)

Got to have kaya now (Tem que ter kaya (maconha) agora)

Got to have kaya now (Tem que ter kaya (maconha) agora)

Got to have kaya now (Tem que ter kaya (maconha) agora)

For the rain is falling (Pois a chuva está caindo)

I feel so high, I even touch the sky

Above The falling rain

I feel so good in my neighborhood

So here I come again

Got to have kaya now (tenho que ter maconha agora)

Got to have kaya now (tenho que ter maconha agora)

Got to have kaya now (tenho que ter maconha agora)

For the rain is falling

Eu posso ver

O sol aparecer

Sobre a chuva que cai

Tão bom rever

A tribo, o fumacê (???)

Do cachimbo da paz (????)

(E muito mais)

Kaya já, na Gandaya (maconha na gandaia)

Kaya já, na Gandaya (maconha na gandaia)

Kaya já, nem que a chuva

Kaya

Na Gandaya, Kaya já (na gandaia, maconha já!)

Na Gandaya, Kaya já (na gandaia, maconha já!)

Kaya já , nem que a chuva

Kaya

O "certo" na época da esquerda era um Ministro da Cultura que fazia apologia às drogas, sob as bênçãos da imprensa, que não duvido, deve ser a maior usuária e apoiadora.

VÍDEO COM A MÚSICA (a galera bem animada fumando todas):

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários