Clube contrata goleiro Bruno, perde patrocínio e revolta a sociedade

O clube Operário de Várzea Grande (MT) vem chamando a atenção do meio futebolístico nas últimas semanas, tudo se deve a polêmica contratação do goleiro Bruno Fernandes.

Bruno foi preso em 2010 no auge de sua carreira e condenado posteriormente pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, mãe de seu filho.

O Ministério Público já autorizou os trâmites envolvendo a contratação do goleiro que assinará o contrato em breve, segundo o supervisor do Operário de Várzea Grande, André Xela, Bruno ganhará um salário em torno de R$ 6 mil.

O caso vem sendo fortemente repudiado pela sociedade, e inclusive o clube está perdendo patrocinadores, entre eles o Sicredi.

Atualmente Bruno está em regime semi-aberto.

Enquanto isso, onde estão os restos mortais de Eliza Samudio?

Uma grande injustiça enraizada na sociedade, enquanto uma família chora e um filho cresce sem a mãe, o assassino curte os resquícios de uma fama manchada.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários