Extrema imprensa defende Glenn e tenta usar lei de Abuso de Autoridade contra procurador

Uma matéria publicada pelo Gaúcha ZH, na coluna de Carolina Bahia, está repercutindo negativamente. Trata-se de uma entrevista feita com advogados.

Na matéria, os ‘entendedores da lei’ afirmam que a denúncia feita pelo Procurador da República, Wellington Divino Marques de Oliveira contra Glenn Greenwald, pode se encaixar na nova lei de Abuso de Autoridade.

“É uma questão muito séria, que ataca diretamente a liberdade de imprensa. É uma criminalização do jornalismo”, defendeu um advogado.

A coluna em questão defende com veemência o suposto ‘crime’ cometido pelo procurador e não cita nada sobre os supostos crimes cometidos por Glenn, dando ênfase a absurda tese de inocência do americano.

A procuradora da Lava Jato, Monique Cheker não gostou nenhum pouco da matéria e foi a suas redes sociais criticar a matéria feita pelo jornal.

“Independente do mérito, que pode e deve ser debatido (a denúncia será analisada pelo Judiciário), curioso que jornalistas apostem na punição de membro do MP no exercício das funções para defender a não punição de outros no exercício das funções”, escreveu a procuradora.

Monique foi vítima dos atos criminosos de Glenn em um aplicativo de conversa invadido pelo pseudo jornalista.

No total o “Verdevaldo” soma 126 condutas criminosas.

da Redação

Comentários