PM Gabriel Monteiro detona deputada do Psol que homenageou Lênin

A professora de história e deputada federal, Talíria Petrone (PSOL - RJ) publicou em suas redes sociais uma homenagem ao comunista, assassino e genocida Lênin.

Uma atrocidade absurda cometida pela esquerdista que ainda afirmou que comparar Lênin a Hitler é um ‘absurdo’.

“Há 96 anos perdíamos Lênin, o principal líder da revolução russa de outubro de 1917. O cara que ousou substituir o poder do Czar, o Rei, pelo de Conselhos de Operários, Soldados e Camponeses - os Soviets. A revolução foi traída, mas Lênin, pelo exemplo e pelos escritos, é eterno”, escreveu a psolista.

A deputada ainda afirmou que liberais, sociais-democratas e conservadores estavam do lado da guerra mundial, que obteve 10 milhões de mortos, enquanto Lênin defendia a ‘paz, pão e terra’.

Após a vitória da tal revolução - ainda desconhecida - Lênin assinou tratado de “paz” para o povo, segundo a historiadora.

“Hitler era guerra!” afirmou Talíria.

A defensora de Lênin esqueceu o quão genocida era o seu ídolo e Hitler. A professora de história não parece ter um conhecimento tão vasto assim, provavelmente por se preocupar mais com ideologias políticas do que com sua área de formação.

Novidade zero!

O policial militar, youtuber e conservador assíduo, Gabriel Monteiro não deixou barato e indignado com a barbárie, escreveu:

“Esse galera não tem amor no coração. Lênin não foi mero assassino, foi genocida. Seu exército matou milhões de pessoas confiscando comida, perpassa os limites da barbaridade”, detonou Gabriel.

O PM colocou a esquerdalha no seu devido lugar.

“É a mesma [galera] que condena policiais, quando defendendo a sociedade, matam um bandido”, conclui o youtuber.

Confira as publicações:

da Redação

Comentários