A pedido de Lula, Eduardo Paes beneficiou a quadrilha de Lulinha (veja o vídeo)

Na última parte da entrevista exclusiva à TV Jornal da Cidade Online, Marco Vitale, autor do livro Sócio do Filho, continua a desvendar o submundo de falcatruas de Lulinha, Jonas Suassuna e os irmãos Kalil e Fernando Bittar, tudo com as bençãos do ex-presidente Lula – é uma espiral de corrupção sem fim. Inclusive, ele revela com detalhes como Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio de Janeiro, também participou de negociatas criminosas.

Paes, a pedido do ex-presidente Lula, beneficiou Lulinha e os sócios no superfaturamento de mensagens SMS e serviços não realizados relativos ao telefone 1746, número para reclamações da prefeitura do Rio de Janeiro.

“Ocorreram vários encontros entre Jonas Suassuna, Lulinha, Kalil e Fernando Bittar, e Eduardo Paes, no gabinete do ex-prefeito. Ali se estabeleceu como seriam passados milhões para as contas do Lulinha – 1746 foi uma das formas”, contou o ex-diretor da empresa de Lulinha.

A verdade como missão

Ele destacou ainda como colaborou com as autoridades para revelar os negócios ilícitos que descobriu e que encara tudo que fez como uma missão.

“O que eu falo, ninguém falou para mim, vem derivado da investigação eu fiz e continuo a fazer. Minha atitude foi não me calar. Às vezes as pessoas falam que sou corajoso, não sou. Eu revelo os crimes que eles cometeram com o aval e influência direta do ex-presidente Lula. Eu faço isso como um compromisso com essa história e com a verdade. As pessoas não devem temer. Sou a favor da delação premiada e outros instrumentos, mas por que os cidadãos comuns ou jornalistas não podem levantar e, de forma direta, mostrar esses crimes? A gente não pode se calar, se não, a gente não transforma o Brasil”, ressaltou.

Bolsonaro no poder e a revelação dos crimes da família Lula da Silva

E será que Vitale conseguiria contar todas essas histórias se o PT ainda estivesse no poder?

“Eu acredito que hoje vivemos em um Brasil muito melhor do que vivíamos, freou a ida para o fundo do poço. Eu acredito que o governo Bolsonaro esteja fazendo um bom trabalho, a equipe, principalmente, Sergio Moro e outras pessoas, denota que o Brasil está mudando, mas é um trabalho realmente de longo prazo. Eu não sei, se o resultado da eleição fosse outro, se eu teria condição de estar falando o que eu falo hoje”, destacou Vitale.

Marco Vitale prova que, se não tivermos medo de lutar pelo que é justo, há mais chance de tirar os corruptos de circulação. Não se trata só da eleição de um presidente, se trata de cada um fazer sua parte para desmascarar toda essa gente criminosa. No que depender do Jornal da Cidade Online, como livre espaço para denúncias e alerta para a sociedade, os vagabundos não terão mais chance.

da Redação

Comentários