Enviesada, extrema imprensa inicia ataque implacável contra Regina Duarte

Sem nem sequer ter sido oficializada, a nomeação da atriz Regina Duarte para a Secretaria Especial da Cultura causou alvoroço nos tradicionais veículos de mídia, ávidos por qualquer manchete sensacionalista capaz de desgastar a imagem do presidente Jair Bolsonaro.

Em único dia, foram dezenas as matérias com manchetes enganosas tentando incriminar a atriz. Em um dos casos, a Veja noticiou que a atriz “deve R$ 319,6 mil por irregularidades com a Lei Rouanet”, entretanto, o processo em questão ainda não foi concluído e, no momento, aguarda o julgamento de um recurso da atriz.

As contas do monólogo Coração Bazar foram reprovadas por não terem apresentado um comprovante de que as exibições foram realizadas sem a cobrança de ingressos, o que deve ser facilmente demonstrado pela defesa da atriz em seu recurso.

Além desse, a atriz teve outros dois projetos financiados através da Lei Rouanet. Um deles teve as contas aprovadas e outro ainda não foi analisado.

Por outro lado, o Estadão tratou de atacar a atriz por receber uma pensão militar. A ideia, nesse caso, era denegrir a imagem da atriz por, mesmo casada, receber a pensão do pai, que foi tenente do exército e morreu em 1981. Entretanto, não há absolutamente nada de ilegal no benefício. A reportagem tenta explorar o fato de que o benefício deixou de existir para filhas de militares - casadas e maiores de idade – em 2000. Porém, as pensões concedidas antes disso são consideradas “direito adquirido”. Ela passou a receber o benefício em 1999.

O Senador Bibo Nunes (PSL-RS) se manifestou sobre o caso através do seu perfil no Twitter:

Agora tentam manchar a honra de Regina Duarte, porque ela recebe pensão do pai, que era do exército. Tudo dentro da lei. Tudo correto! Procuram até pelo em ovo para acusar quem está ao lado de Bolsonaro... Num ano de governo nenhum caso de corrupção... Chora, imprensa parcial!

Em outro caso, diversos veículos trataram de distorcer uma fala do ator Antônio Fagundes, colega da atriz em diversos projetos. Fagundes afirmou em uma entrevista para O Globo:

Tenho sempre pena de artista que entra nessa jogada. Temos tanta coisa para fazer e o jogo sujo da política só pode trazer coisa ruim. Torço para que a Regina não saia queimada

No entanto, as manchetes se transformaram em variantes do tipo “Antônio Fagundes diz ter pena de Regina Duarte”, ocultando o fato de o ator, na verdade, estar torcendo para que atriz saia exitosa da empreitada.

É intrigante o esforço empreendido pela extrema imprensa contra Regina. Onde estava todo esse impeto investigativo quando ocuparam o Ministério da Cultura, durante os governos petistas, Gilberto Gil, Ana de Hollanda – irmã de Chico Buarque e Marta Suplicy?

Parece que o que esses veículos chamam de imparcialidade não passa, na verdade, de seletividade partidária.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários