Delirante, Lula diz que Moro, Dallagnol e Bolsonaro sofreram com consciência pesada enquanto ele esteve preso (veja o vídeo)

Agora solto, mas não livre, o ex-presidiário Lula segue fazendo o que sempre fez de melhor: ludibriar as massas para, inescrupulosamente, manobrá-las em prol de seu projeto totalitário de poder.

Dessa vez, o condenado em três instâncias participava de um evento do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) quando, em mais um de seus arroubos delirantes e vitimistas, tratou de proliferar a ladainha de ter sido perseguido politicamente por um suposto complô entre o então juiz, Sérgio Moro, o procurador da República, Deltan Dallagnol e o à época deputado, Jair Bolsonaro.

Com a voz forçosamente serena, Lula agradeceu os militantes desocupados que fizeram vigília em frete à Polícia Federal em Curitiba e disparou:

“Foram 580 dias que, vocês podem ter certeza, o Moro, o Bolsonaro, o Dallagnol devem ter sofrido muito mais do que eu, porque eu tava com a minha consciência muito tranquila e sabia o que eu tava fazendo lá dentro.”

Infelizmente, o vitimismo calhorda do larápio não parece ser apenas teatral, mas um sinal de possíveis distúrbios psiquiátricos, pois é difícil de acreditar que alguém, depois de condenado em 3 instâncias, não por um, mas por vários juízes, ainda durma com a consciência tranquila acreditando ser inocente.

da Redação

Comentários