Esquerda ataca evangélicos: Pastor quer cooptar cristãos para igreja marxista (veja o vídeo)

Se você achou o maior absurdo o militante travesti dizer que quer acabar com a família, você não viu o que disse o pastor evangélico (do PSOL!) que estava no mesmo seminário, no mesmo painel.

Teólogo, historiador, ex-candidato a vereador pelo PSOL no Rio de Janeiro, Henrique Vieira é um pastor, digamos, diferente. Ele usa uma definição de fundamentalismo religioso que enquadra todo cristão comum como fundamentalista. Um rótulo negativo que, ao ser objeto de estudo nas universidades dominadas por intelectuais de viés marxista, pode dar margem “científica” para uma perseguição oficial aos cristãos se a esquerda voltar ao poder. A não ser, claro, os cristãos que aceitem - como ele diz - interpretar a Bíblia à luz (trevas!) do panorama histórico materialista marxista.

Segundo Vieira, nem todos os evangélicos são “conservadores fascistoides”. Há conflitos entre os evangélicos e a esquerda revolucionária deve aproveitar para criar diálogo com certos segmentos, como estratégia para não perder de vez o Brasil para o conservadorismo. Então, não é por acaso que vocês têm visto iniciativas do PT e partidos de esquerda buscando aproximação. É estratégia estudada. Por isso, cuidado: marxismo e cristianismo não são conciliáveis sem que um dos dois seja traído.

Como se não bastasse isso, isentões liberais parecem dispostos a aproveitar a estratégia da esquerda de minar o apoio que Bolsonaro recebe dos evangélicos. Nando Moura, por exemplo, fez tuítes dizendo que Bolsonaro “vendeu a alma do diabo”, entre outras coisas, usando termos que chamam especialmente a atenção de cristãos evangélicos. Vale tudo contra o primeiro presidente cristão e conservador que coloca o Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

Confira o comentário completo no vídeo e espalhe para os amigos:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários