A única conclusão que se pode extrair do caso Flávio Bolsonaro: O Ministério Público do RJ agiu ilegalmente

E a Polícia Federal concluiu o inquérito de Flávio Bolsonaro SEM ENCONTRAR PROVAS de lavagem de dinheiro ou falsidade ideológica.

A investigação não apontou NENHUMA IRREGULARIDADE no patrimônio do Senador.

Se valorização imobiliária fosse lavagem de dinheiro, TODO MUNDO que tem imóvel, no país, tinha que ser preso.

O fomento de crédito imobiliário, na última década, proporcionou uma valorização absurda, criando uma MEGA BOLHA no setor.

O tipo de investimento feito por Flávio, adquirindo unidades na planta, não raramente proporciona ganhos superiores a 40%, em um prazo de 48 meses ou menos.

A principal reclamação, do MP e dos jornalistas, é justamente o fato de Flávio ter DECLARADO a valorização. Pra eles, seria melhor se o filho do presidente OMITISSE o ganho patrimonial, FRAUDASSE sua declaração de bens.

(Será que é por isso que ainda não entenderam o crime de OCULTAÇÃO DE PATRIMÔNIO, cometido por Lula? Acham que isso é o certo?)

O único ILÍCITO COMPROVADO, até agora, foi cometido pelo próprio MINISTÉRIO PÚBLICO, que VIOLOU ILEGALMENTE o sigilo bancário de Flávio e ainda divulgou INFORMAÇÕES FALSAS para a imprensa, numa clara intenção de MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA.

Uma campanha SUJA, COVARDE e CRIMINOSA, orquestrada por aqueles que deveriam GARANTIR O CUMPRIMENTO DAS LEIS, para assassinar a reputação de um opositor político.

O MPRJ é uma VERGONHA para a Justiça Brasileira.

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários