Professor da UFRN afirma que apoiadores de Bolsonaro ‘deveriam ser fuzilados’

Viralizou na internet um série de mensagens ofensivas de um professor de direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde o docente afirma que apoiadores de Bolsonaro ‘deveriam ser fuzilados’.

O professor respondeu uma mensagem do presidente do sindicato dos professores de ensino superior do Rio Grande do Norte (Adurn), Francisco Wellington Duarte, que também é professor da UFRN.

O autor do comentário também é advogado. O nome da figura é Mario Trajano.

Vale salientar que o Rio Grande do Norte é um dos poucos estados da federação ainda administrados pelo PT.

Na mensagem, o professor salientou que o impeachment de Dilma Rousseff foi um “golpe”

E reiterou seu repúdio aos colegas de profissão que tem pensamentos políticos ideológicos diferentes do dele e os chamou de “traidores da pátria”.

O docente ainda classificou as eleições de 2018 como “fraudadas”.

"Sinceramente, camarada, creio-nos como inimigos da Pátria Brasileira e tenho a absoluta certeza que em uma revolução popular vitoriosa esse tipo de gente, inimiga do Brasil, deveria ser fuzilada! Viva a Revolução! Viva a Pátria Brasileira!".

A postagem ameaçadora foi divulgada inicialmente pelo blogueiro Gustavo Negreiros. Rapidamente viralizou. O advogado agora está dizendo que foi hackeado e ameaçando processar o jornalista.

Negreiros disse o seguinte:

O professor Mário Trajano disse que vai me processar. Me chama de calhorda. Disse que o Facebook dele foi hackeado. O engraçado que ele fez postagens ontem e não disse nada. Seria interessante a Polícia Federal investigar isso.

Quem é o calhorda?

Confira:

da Redação

Comentários