Damares deixa esquerda em pânico ao afirmar que crianças e jovens de 10 a 18 podem iniciar a vida sexual mais tarde (veja o vídeo)

Campanha contra gravidez na adolescência toca num ponto chave da estratégia da esquerda revolucionária

Tarados, pedófilos e “especialistas” de várias áreas não gostaram da campanha de prevenção contra gravidez na adolescência lançada pelo Governo Federal no último dia 3 de fevereiro.

Num país onde a iniciação sexual de menores de idade se tornou meta de diversas iniciativas culturais e educacionais, dizer que crianças e jovens de 10 a 18 podem iniciar a vida sexual mais tarde se tornou um absurdo.

A mídia, comprometida com as propostas revolucionárias da esquerda, recorreu aos especialistas para criticar a campanha e questionar sua eficácia. Chamam de campanha pela “abstinência sexual”, como se o Governo, por iniciativa da Ministra Damares Alves, fosse uma fundamentalista religiosa e quisesse privar crianças e jovens do prazer sexual. Mas não é nada disso.

Com o mote “Adolescência Primeiro, Gravidez Depois – Tudo Tem Seu Tempo”, o objetivo é mostrar aos jovens que há benefícios em postergar o início da vida sexual. E garanto: tem chance de funcionar, para a tristeza da esquerda que aposta na sexualização precoce como estratégia revolucionária para incentivar a promiscuidade e dificultar a formação de família.

Confira no vídeo o comentário completo:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários