Miliciano é morto neste domingo pela polícia da Bahia, estado governado pelo PT

O ex-capitão Adriano da Nóbrega, que estava foragido, foi localizado e morto na madrugada deste domingo (9).

A Folha de S.Paulo imediatamente deu a notícia com uma manchete extremamente capciosa:

“Miliciano ligado a Flávio Bolsonaro é morto em operação”

A notícia dá conta que Adriano ‘é citado na investigação que apura a prática de ‘rachadinha’ no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro)”.

A militância petista e os puxadinhos organizados, então estão se encarregando da segunda parte da estratégia, aventando uma eventual “queima de arquivo”.

Escondem o fato de que o ex-PM foi morto por uma polícia comandada pelo PT.

A operação foi realizada pela Polícia Militar do governador Rui Costa, da Bahia. O setor de inteligência da polícia do Rio teria auxiliado, segundo a Folha de S.Paulo.

"Queima de Arquivo" parece ter sido o caso do ex-prefeito Celso Daniel.

É a velha máxima da esquerda: "Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é".

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários