STJ derruba esdrúxula liminar que tirou conservador negro da presidência da Fundação Palmares

Nesta quarta-feira, 12, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) derrubou a liminar que impediu a posse de Sérgio Nascimento de Camargo na presidência da Fundação Cultural Palmares.

Sérgio foi nomeado para a presidência da fundação no ano passado, entretanto o um juiz do Ceará, Emanuel José Matias Guerra, em uma decisão totalmente autoritária, suspendeu a nomeação, alegando que o mesmo fez declarações que atacavam as minorias que deveriam ser defendidas pela fundação Palmares.

Filho do militante e especialista em literatura negra Oswaldo Camargo, Sérgio não é adepto ao movimento negro das redes sociais e faz declarações polêmicas a respeito da dessa questão. É totalmente contra o dia da consciência negra que, segundo alega, ‘celebra’ a escravização de mentes negras pela esquerda” e acredita que isso precisa ser abolido.

Sérgio Camargo tem convicção de que o racismo está enraizado na sociedade como vitimismo. Ele se define “contra o vitimismo e o politicamente correto”.

Na manhã desta quarta-feira, Sérgio comemorou o fato em suas redes sociais.

“Caiu a liminar que me afastou da presidência da Fundação Cultural Palmares. Serei reconduzido ao cargo. Grande dia!”, escreveu o futuro presidente da Fundação Cultural Palmares.

Inicialmente, Sérgio foi indicado ao cargo pelo ex-secretário da Cultura, Roberto Alvim. A nova secretário especial da Cultura, Regina Duarte, afirmou:

"decisão judicial cumpre-se.”

Confira:

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários