A Folha já julgou, condenou e pretende a execração pública de uma testemunha sob juramento (veja o vídeo)

O jornal Folha de S.Paulo já fez o seu julgamento.

Hans River Rio do Nascimento está condenado.

De acordo com o jornal, não passa de um mentiroso.

De maneira habilidosa, toda a artilharia do jornal voltou-se para a revelação de que a jornalista Patrícia Campos Mello, para conseguir informações, teria assediado o rapaz.

Ardilosamente, o jornal focou o seus ataques apenas neste aspecto, tentando de todas as formas desqualificar a testemunha e enaltecer a ‘premiada’ jornalista.

O detalhe mais pernóstico é o de que a acusação principal foi escanteada.

Ninguém toca no assunto.

O PT efetuou disparos em massa de mensagens na tentativa de fraudar o pleito eleitoral de 2018.

Ou seja, ante a prova testemunhal, dada sob juramento, a conclusão que chegamos é de que a jornalista teria produzido um material totalmente mentiroso durante a campanha eleitoral, visando incriminar o candidato que concorria contra o PT.

Neste aspecto, pesa contra Patrícia a sua confissão de que é de esquerda e de que sempre votou no PT.

Hans, por sua vez, neste aspecto tem mais isenção do que a jornalista da Folha, pois não tem qualquer ligação com nenhuma das partes.

O vídeo abaixo não deixa nenhuma dúvida.

Assim, fica o questionamento: Quem está mentindo?

A testemunha sob juramento ou a jornalista que já confessou que é de esquerda e que sempre foi eleitora do PT?

Veja o vídeo:

da Redação

Comentários