assinante_desktop_cabecalho

A sórdida estratégia da esquerda de “criação de narrativas”, na CPMI das Fake News

Ler na área do assinante

Todos já entenderam o que é a CPMI das Fake News e qual o objetivo, aliás, ela é a corporeificação da estratégia que a esquerda usa há décadas e que se intensificou no projeto "resistência":

1°criam um fato e começam a falar no parlamento e nas redes (chamamos isso de narrativa).
2° transformam a invenção em notícia e insistem até o judiciário investigar. Pronto! Está criado um fato, um ato processual, um suposto crime baseado exclusivamente numa suposição fabricada e sustentada pelo aparelhamento da mídia e do judiciário.

Não importa se no final a investigação conclui que não houve crime, o que importa é envolver toda a direita como investigada por crimes diversos.

Mas essa parte todo mundo já entendeu!

O que poucos falam é que há uma armadilha na fala dos “inquisidores” da CPMI e que sempre dá certo, muito provável pela falta de experiência dos investigados no mundo do crime.

Os parlamentares fazem uma pergunta direcionando a resposta (eles já sabem a resposta mas estão em busca de um nome específico) e eles sempre conseguem! Como?

Bem, funciona assim, TODOS os nomes citados no interrogatório serão chamados para serem interrogados. O objetivo da armadilha é “provar” que TODOS espalharam notícias falsas para eleger o PR.

Parem de citar nomes! Parem de envolver colegas de direita! Citaram até Olavo de Carvalho e por isso querem convocá-lo também! Não joguem o jogo!

É assim com todos os citados, justamente para dar a impressão que é um esquema gigante que envolveu todo mundo!

Não alimentem essa narrativa transformada em fato que ajuda a manter a farsa de que notícias falsas contra o PT elegeram Jair.

Que raio de notícia falsa foi essa que foi capaz de ser pior do que todo o esquema de corrupção que o partido orquestrou?

Calem-se! Ou CITEM GRANDES NOMES DA MÍDIA TRADICIONAL E PERCEBAM ESSA CPMI MINGUAR!

Foto de Raquel Brugnera

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar