A Globo é uma fossa!

Os veículos dessa composteira, chamada Rede Globo, não tendo mais o que fazer, hoje optaram por induzir os minguados seguidores do seu jornalismo a acreditar que o Presidente Jair Bolsonaro cometeu “violência sexual contra uma repórter”.

No caso, a jornalista da Folha de S.Paulo Patrícia Campos de Mello.

Ora, convenhamos que a fala de Bolsonaro não foi das mais elegantes. Mas daí a configurar, como escreveu o tal do Leonardo Sakamoto (que eu nem sequer sei quem é) no portal de notícias UOL como sendo “violência de cunho sexual”, falta um eito, não é mesmo?

O mesmo tom foi dado nas manchetes da GLOBONEWS no programa “Em Pauta” pelo impoluto Gerson Camarotti, a boca mais alugada da imprensa do Brasil, que de tão ansioso vive chupando a própria saliva na ânsia de doutrinar quem pensa.

Na verdade, ninguém mais dá bola para essa cacalhada desqualificada e marionetes com espaços nas mídias.

Ademais, quem são Willian Bonner, Eliane Cantanhêde, Mirian Leitão, Renata Vasconcelos, Demétrio Mangnóli (com sua cara de areia mijada e sorriso da graxaim), Cristiana Lobo e muitos outros? Ninguém! Nada!

No que mesmo a opinião deles influencia na minha, na sua ou na vida dos brasileiros? Em absolutamente nada!

Que representatividade têm?

O que muda no nosso dia a dia a opinião deles? Porra nenhuma! Não foram eleitos! São só jornalistas pagos. Regiamente pagos como muitos outros, para defender os interesses dos seus patrões.

Os gordos endinheirados da Globo, a maior mamata do Brasil de todos os tempos.

A Globo, a Folha, O Estadão e seus veículos digitais estão sem bússola.

Eles tem menos importância ou repercutem menos que um cachorro fazendo cocô! Sinceramente!

Algumas pessoas ainda me perguntam: por que eu sigo tendo eles como tema? Porquê é preciso desmontá-los, desqualificá-los, desautorizá-los. Expor suas incoerências, seus vínculos econômicos e ideológicos. Suas patifarias. Suas entranhas sujas e seus negócios com o que há de pior na história do Brasil. Seus interesses contrariados com o fim do Lulopetismo e com a secura das tetas da viúva.

E violência sexual? Quem faz isso é a Globo nas suas novelas imundas, nas sevícias que propaga escandalosamente nos seus seriados e programas. Na malícia que semeia no lar dos brasileiros em defesa da promiscuidade, da quebra dos códigos morais mais fundamentais e da vergonha que é a sua parcialidade em busca do dinheiro fácil.

Não vou me aprofundar, mas a jornalista em questão é uma desqualificada, que caiu em descrédito quando tentou “seduzir” uma fonte, em busca de informações que ela não tinha.

É verdade que o Presidente poderia nos poupar a todos de polêmicas dessa natureza, que todavia, são muito menos relevantes que os jornalistas sem boas qualidades e de natureza intelectual e moral inferior que os atacam.

Reputação. Essa é a palavra de ordem. Isso, a Globo não tem! Em razão disso, perde a autoridade editorial, e afasta a necessidade dos consumidores da sua audiência, que já não borram nem andam para o que esses patetas falam ou escrevem.

Por isso, os jornais impressos hoje servem para forrar gaiola e para reter os excrementos dos nossos "pets" (quando muito).

Os anunciantes sumiram e a crise bate à porta.

Enquanto isso, Bolsonaro faz um governo sintonizado e coerente, cumprindo com o que se comprometeu!

As mudanças ainda nem começaram.

Em 400 dias de Governo, a imprensa vermelha vai amarelar.

Ao final da primeira gestão, terá caído de maduro.

E eu vou ficar no pé dessa escória!

Falar mal deles me dá audiência!

Fazer o quê, né?

Quer ver como é verdade?

Observem os compartilhamentos, curtidas e comentários desse artigo!

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia.
@LCNemetz

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários