Em interrogatório Lula se vitimiza e leva resposta fulminante de procurador

O ex-presidente Luiz Inácio Lula Lula prestou depoimento à Justiça Federal em Brasília, nesta quarta-feira, 19, sobre um possível envolvimento com corrupção em referência a uma Medida Provisória (MP) que estabeleceu benefícios para o setor automotivo.

Segundo a denúncia, Lula e o ex-ministro Gilberto Carvalho firmaram um acordo de vantagem indevida de R$ 6 milhões para favorecer as montadoras MMC (atual HPE) e Caoa, através da MP 471, de 2009.

Com seu tradicional discurso petista e sempre se vitimizando, Lula afirmou no interrogatório que está cansado de tanta “mentira, leviandade e insinuações” contra ele. O ex-presidiário ainda desafiou qualquer “juiz, procurador, delegado e deputado” que tenha visto ele receber algum dinheiro ilícito de alguém.

Por diversas oportunidades o ex-detento afirmou ser vítima de perseguição do Ministério Público Federal (MPF), juízes, delegados e procuradores.

Assim, em meio ao espetáculo de vitimização do meliante petista, o procurador da República Igor Miranda da Silva disse algo que fez Lula baixar o tom.

“Só para deixar claro, eu sou negro, cresci na periferia, mas é meu dever institucional buscar a verdade”.

No final de seu depoimento que durou cerca de uma hora, Lula novamente fez um discurso político, entretanto, depois da fala de Miranda, salientou que suas queixas são para pessoas específicas e não para as instituições.

Para finalizar, o condenado em segunda instância disse que ninguém mais do que ele aguarda a justiça e que faz isso em defesa do MPF, da democracia e na crença do Judiciário.

Lula é realmente a indecência em pessoa.

da Redação

Comentários