A difícil tarefa de ser honesto no Brasil

Amigo, se você é brasileiro, vou te falar uma verdade: Caso você pretenda crescer no Brasil, mais do que uma boa ideia e um cérebro privilegiado, você vai ter que ter estômago.

Há décadas vivemos numa “democracia” em que o Estado quer controlar tudo e não te facilita a vida em nada. Se você quiser empreender, prepare-se para ser ilegal, mesmo que você não queira isso.

O controle do Estado é o maior gargalo que existe para se montar qualquer negócio. Não adianta Sebrae e outras enganações que te prometem mundos e fundos, porque você vai encontrar barreiras cada vez mais altas.

Alguém tem dúvida por que é que tem tanta gente desempregada? Porque o Estado não facilita as coisas. E quando eu falo o Estado, não me refiro só ao Governo federal, e sim aos estaduais e municipais.

Eu vou dar um exemplo: Experimente montar uma microempresa individual no ramo de transporte turístico. Você vai ver o sofrimento que é.

Até que na esfera federal a coisa vai bem. Você se formaliza como MEI e, se cumpridas as exigências do Ministério do Turismo, recebe o selo pertinente à atividade que vai desenvolver. Já pode trabalhar? Não. Aí vem as exigências estaduais. Milhares de documentos, correrias e taxas, você já pensa que está apto a trabalhar. Está? Não. Aí vem as exigências municipais, que são completamente contraditórias em relação às outras duas esferas. Tome-lhe mais taxas, e taxas e taxas. Mesmo assim até o teu espirro cai em exigência. Parece que nunca estão satisfeitos com nada.

E por que isso acontece? Simples... Cada vez que muda um diretor de cada órgão envolvido, este, pra mostrar serviço, baixa portarias completamente loucas e restritivas que contradizem as portarias dos outros órgãos, que por sinal também são contraditórias entre si. É uma salada de leis estúpidas.

No final das contas o pretendente a empreendedor fica nadando perdido no meio de uma sopa de letrinha de leis, portarias, resoluções e cagadas, e simplesmente desiste de legalizar a coisa. Aí vai trabalhar na "informalidade", ou seja, ilegal.

E aquele empreendedor é o cara que futuramente poderia gerar empregos, mas até isso é difícil! É uma burrocracia estúpida contratar alguém, porque o governo tem que fazer o controle de tudo. Afinal, que raio de país é esse que não te permite crescer e que inviabiliza qualquer tentativa de você ser um empresário?

Não é atoa que muitas empresas morrem ainda na gestação.

Assim é com tudo. Raul Seixas bem definiu essa cultura estúpida do controle excessivo:

"Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum! Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado se quiser voar! Pra Lua: a taxa é alta, pro Sol: identidade; mas já pro seu foguete viajar pelo universo É preciso meu carimbo dando o sim sim, sim, sim"

Porém, quem melhor falou a respeito foi Ayn Rand, em 1920:

“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.”

Vivemos num país de merda onde pagamos os altos salários daqueles que deveriam facilitar nossa vida, mas que na verdade servem como pedras no nosso caminho.

Aí, na hipótese de você conseguir, com muito custo, muita dor e paciência vencer todos os obstáculos, vai aparecer um esquerdista cretino e incompetente pra dizer que você é um “opressor” porque é patrão.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários