TCE

Lula e Al Capone: bandidos também recebem homenagens

Em 1929 Al Capone foi eleito pela Revista Time como o homem mais importante do ano.

Foi capa da edição de 24 de março de 1930.

Era um homem caridoso, pois doava parte de seus lucros aos pobres.

Um grande altruísta, um verdadeiro Robin Hood.

Quando a Bolsa de Valores quebrou e a Grande Depressão atingiu os Estados Unidos em 1929, Al Capone foi a primeira pessoa a abrir restaurantes para os trabalhadores desempregados.

Em 1931, de acordo com o jornal Chicago Tribune, ele já havia servido 120 mil refeições.

Também instituiu um programa que forneceu leite gratuitamente para crianças em idade escolar em toda Chicago.

Além disso, ordenou lojistas para que doassem alimentos e roupas aos pobres.

Graças a essas atitudes generosas, algumas pessoas o consideravam como um “Robin Hood dos tempos modernos”.

Em 1932 “o homem mais importante do ano” foi condenado, preso e encarcerado, praticamente mofando na cadeia.

E, vejam só, Al Capone foi condenado apenas pelo crime de evasão fiscal, pois provavelmente era “inocente” dos crimes por ele cometidos (como assassinatos, corrupção ativa, apostas, agiotagem, prostituição, comércio e contrabando de bebidas).

Em 2020 – noventa e um anos depois - o condenado e ex-presidente Lula foi agraciado com o obscuro e inexpressivo título de Cidadão de Honra (que honra?) da Cidade de Paris, por indicação da prefeita Anne Hidalgo (uma esquerdopata que pertence ao Partido Socialista).

Comovente foi a justificativa da concessão do referido título parisiense ao condenado Lula:

“Engajamento de Lula na redução das desigualdades sociais e econômicas no Brasil” e por sua política "contra discriminações raciais".

Vale lembrar que Lula é aquele ex-presidente farsante que surrupiou os programas sociais já existentes, apenas mudando-lhes os nomes.

Antes de ser presidente, era contra os programas sociais.

No campo econômico seu grande “engajamento” foi ter sido contra o Plano Real e contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, além de ter sido o responsável pela maior onda de corrupção e assaltos aos cofres públicos nunca antes vista na história deste país contra as instituições públicas (Petrobrás, Correios, .... mensalão, petróleo ... a lista é enorme). Al Capone ficaria envergonhado.

Como se vê, bandidos também recebem homenagens; mas não deixam de ser bandidos.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários