Vereador é preso em flagrante no momento em que extorquia prefeito por voto contra impeachment

As Câmara Municipais tem se revelado um antro de pilantragens e falcatruas, o que demonstra a grande responsabilidade do eleitorado brasileiro no pleito de 2020, quando serão escolhidos novos vereadores e prefeitos.

Em Volta Redonda (RJ), neste sábado (7), o vereador conhecido como Paulinho do RX foi preso em flagrante no momento em que receberia R$ 325 mil reais do prefeito Samuca Silva.

Ficou caracterizado o crime de extorsão, pelo voto do vereador contra o pedido de impeachment do prefeito.

O próprio Samuca denunciou o crime e avisou a polícia para que o flagrante pudesse ser providenciado.

“Ele foi preso numa sala comercial em um shopping. Foi o próprio vereador que marcou com o prefeito para que fosse feito a entrega da quantia solicitada para tentar embarreirar e não fazer carga no impeachment do prefeito”, disse a Delegada Ana Paula Costa Marques Faria, titular da Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro.

Em nota, Samuca Silva deu a sua versão para os fatos:

“Quem me conhece sabe que não tenho desvios de conduta, nem na minha profissão de contador e auditor, nem na política e sabe que não aceito qualquer tipo de vantagem. Estou muito tranquilo e seguro, pois trabalho com os preceitos da ética, transparência e, sobretudo, respeito ao dinheiro público e ao cidadão de Volta Redonda. Na condição de prefeito, é a primeira vez que sofro uma tentativa de extorsão dessa natureza.”

A votação do pedido de impeachment terminou com 13 votos contra 8 a favor do prefeito.

O vereador estaria cobrando o valor do seu voto.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários