Bafafá na esquerda: Marília Arraes e Tabata brigam por projeto que trata de absorventes, "MenstruaBR ou ChicoBras?", questiona ministro

Duas deputadas da esquerda acabam de entrar em atrito em razão de um projeto de lei que prevê a distribuição gratuita de absorventes higiênicos em escolas e unidades de atenção primária à saúde.

Marília Arraes (PT) acusa Tabata Amaral (PDT) de copiar o seu projeto.

De fato, Marília apresentou o projeto em 2019, inclusive, na época, foi solicitado que Tabata fosse a relatora, mas o projeto não andou.

Este ano, Tabata está reapresentando, como se fosse ela a autora da “brilhante” ideia.

Marília está possessa.

Tabata, por sua vez, põe a culpa no pessoal do seu gabinete e diz que não sabia de nada.

O esperneio está feito e o caráter de cada uma das deputadas pode ser conferido por suas respectivas atitudes.

O ministro Abraham Weintraub, aproveitou para criticar a proposta. No Twitter, ele questionou o valor do plano e ironizou a ideia.

“A nova esquerda (colar de pérolas e financiada por monopolistas) quer gastar R$ 5 bilhões (elevando impostos) para fornecer ‘gratuitamente’ absorventes femininos. Como será o nome da nova estatal? CHICOBRÁS? MenstruaBR?”, disse Weintraub.

Fonte: Folha de S.Paulo

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários