Bolsonaro não fala inglês, é feio… Mas, já tivemos coisa muito pior...

“É feio o Presidente não falar inglês, e precisar de um funcionário o tempo todo para traduzir o que Trump fala”.

Dizem isso, e concordo. Mas sem exageros, ou arroubos retóricos: é apenas feio; só isso.

Jair Bolsonaro, por ser uma pessoa simples, que não foi criada em berço de ouro, ou com muitas exigências de padrão educacional, é exatamente o que o brasileiro comum é: monoglota. Não sabe falar outro idioma além do nativo.

Ele mesmo (Bolsonaro) reconhece isso: que não fala inglês. Não tenta ser igual a muitos por aí que passaram pelo cargo antes dele, que se aventuravam no idioma sem saber o que estavam fazendo (quem não viu ainda o vídeo de José Sarney “falando” inglês no Congresso Norte-Americano, em certo tempo dos anos 80?).

Mas não falar inglês não é nenhum demérito; não desqualifica o Presidente em nada para o cargo. Repito: só é feio, de fato. Só isso.

Ele jamais terá, como Chefe de Estado, a impossibilidade de se comunicar com quem quer que seja alguém: sempre haverá algum intérprete, alguém fazendo tradução simultânea, e por aí vai. Mas não poder conversar diretamente, de modo mais intimista, com as pessoas, especialmente com Donald Trump, que o considera um amigo, é de fato ruim e frustrante.

“Ah, mas Trump também não fala português”, dizem outros. Sim, ele não fala português, mas o inglês é que é a língua dos negócios; o inglês que é a língua oficial internacionalmente. E Bolsonaro está nos EUA, e não o inverso (Trump no Brasil).

Mas não se preocupem: no futuro, a grande maioria da população brasileira será bilíngue, e falará o inglês também (não como um nativo, mas ao menos como alguém que consegue se expressar no idioma).

Estamos apenas no começo!

Comentários