O estelionato de Dráuzio Varela

Drauzio Varela disse, em “nota de esclarecimento”, que é médico, e não juiz, e que para ele não importa o que o detento tenha feito.

Então, quem quiser pode chamá-lo, livremente, de ESTELIONATÁRIO ou FALSÁRIO, por Estação Carandiru, no qual ele relatava minuciosamente todas as histórias dos presos que ele apresentava.

E podem chamá-lo disso sem medo de serem processados, pois existe algo no Direito que se chama “exceção da verdade”, um argumento de defesa muito simples, e irrefutável: é só o réu (aquele que está sendo processado) provar que o que ele afirmou é verdadeiro mesmo.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários