O Perigoso CANALHAvírus (veja o vídeo)

Pior do que o vírus chinês, o canalhavírus pode gerar estragos muito maiores

Canalhavírus é uma doença que atinge principalmente o caráter. Os infectados são encontrados em todos os lugares, mas são mais comuns na política e em alguns setores da imprensa. Nas últimas semanas, vimos uma demonstração dos efeitos graves do canalhavírus.

Desde que surgiu a notícia da propagação do novo vírus chinês, o coronavírus, muitos políticos e formadores de opinião aproveitaram para usar esse problema como ferramenta política.

Assim que as manifestações de apoio a Jair Bolsonaro foram marcadas, elas foram alvo de críticas, mas os críticos não abriram a boca para criticar o carnaval, os jogos de futebol, o metrô lotado, a festa de lançamento da CNN. Dava a impressão que só a manifestação de apoio a Bolsonaro seria responsável por uma possível propagação da epidemia. Resultado: a população ficou dividida entre o medo e o descrédito.

No momento em que a população precisa de orientação, a maior parte da imprensa e das lideranças políticas estão mais preocupadas em usar o problema contra seus opositores, ou melhor, contra Bolsonaro. Já comemoram até um novo pedido de impeachment.

Em meio a isso, o melhor que você pode fazer é tomar todas as medidas necessárias para evitar o contágio, além de manter a calma. Se o vírus chinês pode infectar algumas dezenas de milhares de pessoas, o pânico estimulado pelo canalhavírus pode contagiar milhões e pode gerar efeitos bem piores.

Não se alimente só de notícias negativas. Mantenha o senso de proporções. Lembre-se que para 80% dos infectados será só uma gripe comum. É importante tomar cuidado para não infectar principalmente os idosos.

Previna-se contra o vírus chinês e também contra a paranóia estimulada por quem tira proveito do caos.

Confira:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários