Coronavírus: ministro Mandetta revela a verdade que a imprensa tenta esconder (veja o vídeo)

De acordo com informações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante entrevista coletiva realizada na quarta-feira (18), desde setembro de 2019 o coronavírus (Covid-19) começou a circular na cidade chinesa de Wuhan, sem que nenhuma informação fosse divulgada à população local e ao mundo. Ou seja, a cidade conta com 12 milhões de habitantes, e passou a ter 12 milhões de bombas biológicas em potencial.

Mas, claro, segundo a extrema esquerda e outras figuras abjetas, a culpa da contaminação no Brasil é do presidente Bolsonaro, que apertou a mão (sem estar contaminado e sendo monitorado pelo Ministério da Saúde) de alguns manifestantes em frente à residência oficial no dia 15 de março. Acreditar nisso não seria tão diferente de acreditar em saci pererê, fada do dente ou coelhinho da Páscoa. Tratam-nos como imbecis porque continuam acreditando cegamente na imbecilidade do povo, o que é um grande erro.

Ministérios técnicos e unidos para combater o vírus

Apesar de tudo, estamos preparados para combater o vírus chinês, com todos os ministérios juntando esforços para preservar a saúde dos brasileiros, como ressaltou o ministro Mandetta:

“Queria agradecer ao presidente, por ter um ministério tão técnico. Pela primeira vez, todas as áreas estão com pessoas especializadas”, destacou.

Ou seja, se houvesse agora uma equipe escolhida por indicação partidária ou facilitadores de corrupção, como no antigo regime lulopetista, estaríamos em uma situação muito mais complicada.

As Forças Armadas brasileiras já se colocaram à inteira disposição para proteger a população e reduzir exponencialmente os danos causados pelo Covid-19.

Um Chernobyl chinês?

Em 1986, ocorreu na cidade de Chernobyl, na região da Ucrânia, o acidente nuclear mais grave da história da humanidade. O governo comunista da antiga União Soviética escondeu as informações do desastre, deixando que famílias inteiras e animais fossem contaminados. A radiação se espalhou por vários países e a Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula em 9 mil o número de vítimas fatais, fora aqueles que continuam com sequelas permanentes. Mais uma vez, décadas depois, vemos um país comunista omitir dados que poderiam salvar a vida de milhares de pessoas.

A China deve explicações imediatas à comunidade internacional e reparações financeiras às economias afetadas pelo vírus que o país disseminou. Enquanto bolsas de valores despencam no mundo todo, a da China continua subindo e o país segue dominando mercados. E agora eles informam que o número de contaminações por lá parou. Ah, um detalhe, não querem que chamem o Covid-19 de vírus chinês, e ameaçam países que ousam criticá-los. Por que será?

Veja o vídeo:

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários