O falso argumento: esquerda usa protagonismo do Estado na pandemia para combater propostas liberais do governo (veja o vídeo)

Em momentos de crise, o papel do Estado é fundamental para coordenar ações e minimizar os efeitos do problema. Grupos de oposição ao Governo Bolsonaro em especial os de esquerda, como o PT, estão aproveitando isso para supostamente provar que as políticas de privatização fracassaram.

A idéia é colocar as mortes na conta do "estado mínimo" (que nem se realizou ainda), em vez de colocar na conta do estado saqueado e falido por petistas e seus cúmplices, que deixaram de fazer hospital para fazer estádio da Copa de Mundo. Vão culpar o capitalismo pela crise, como se ela não tivesse origem comunista: a China, que omitiu informações e permitiu que a epidemia se alastrasse pelo planeta.

Falando em comunismo, neste momento de crise você está tendo uma amostra grátis do que é isso: já faltam alguns produtos em supermercados, as fronteiras estão fechadas, o governo regula o seu direito de sair de casa e a economia pode sofrer um colapso mais perigoso do que a epidemia.

Felizmente, o controle da imprensa não é uma pautas do Governo Bolsonaro. Infelizmente, alguns dos maiores jornais do País usam essas liberdade para sabotar o Governo, em vez de promover união para enfrentar a crise. Por isso, apesar de uma série de medidas importantes que são tomadas diariamente, quem se informa só por veículos dos grandes grupos como Globo, Folha de S. Paulo e etc, fica com impressão que nada está sendo feito.

O Governo liberou mais de R$ 400 milhões aos estados, para reforçar o enfrentamento da crise. Distribuiu dezenas de milhares de kits para identificar o vírus. Disponibilizou mais de 2 mil leitos. Convocou mais de 5 mil médicos. Forneceu recursos para unidades de saúde ficarem mais tempo abertas. Aprovou registros de novas empresas para testes rápidos para o coronavírus. Zerou impostos de importação para 67 produtos que vão de máscaras a álcool em gel. Isso só para citar algumas, pois há ações sendo realizadas todos os dias pela equipe de ministros. Pois isso, cuidado com a desinformação. Acentuar a crise é uma das metas de quem pretende derrubar o governo.

O momento, é de união pelo Brasil. Quem não entendeu isso, perderá o bonde da história.

Confira:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários