Vera Magalhães, ruim de geografia, péssima em matemática e um contrato que supera meio milhão de reais (veja o vídeo)

Vera Magalhães, que triste figura. Desonesta, blefadora e sem nenhuma intimidade com a inteligência.

Uma mulher fraca.

Esta semana, mudou o mapa da América do Sul e criou uma fronteira entre o Chile e o Brasil. Coisa que só existe na cabeça dela.

Nesta sexta-feira (20) ela conseguiu negar o que reza textualmente a cláusula de um contrato em que ela é a beneficiária.

'Acusada' pelo deputado paulista Douglas Garcia, de manter contrato de meio milhão de reais com a Fundação Padre Anchieta, Vera negou. Mentiu ou não sabe fazer conta.

E pior, Vera disse que irá processar o deputado. Blefou.

O parlamentar disse tão somente a verdade.

E Vera tentou rebater dizendo que o seu contrato com a tal fundação, que recebe subvenção do estado de São Paulo, prevê um salário de R$ 22 mil mensais.

Noutras palavras, Vera confirmou o que foi dito pelo deputado, uma vez que em sendo o contrato estipulado para um prazo de 24 meses, o valor deste perfaz a bagatela de 528 mil reais. Ou seja, ainda supera o propalado “meio milhão de reais”.

Na cópia que juntou, Vera, incompetente, ainda deixou aparecer um ‘pedaço’ da cláusula que estipula o valor total.

Veja abaixo:

Fica o questionamento: Para que todo esse vitimismo? Qual a intenção de tentar negar o óbvio, o valor estipulado contratualmente?

São em situações como essa que se mede o caráter.

Veja o vídeo:

Atualização: Acaba de vir à tona que o valor total do contrato de Vera é de R$ 792 mil reais, para o período compreendido entre 2 de janeiro de 2020 até 31 de dezembro de 2022.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários