Vera Magalhães tenta se explicar e acaba se complicando com fraude fiscal

Vera Magalhães saiu da Jovem Pan e foi contratada pela TV Cultura para apresentar o Roda Viva.

A TV Cultura recebe verbas do governo do Estado de São Paulo, mas o salário de Vera não aparecia no Portal da Transparência.

Os Deputados Gil Diniz e Douglas Garcia pediram o contrato de Vera e a parte do salário veio apagada por uma cláusula de confidencialidade e que não precisava estar no Portal da Transparência porque a TV Cultura não é órgão público.

Acontece que os deputados descobriram que Verinha tinha um contrato de 500 mil com a TV Cultura e colocaram a boca no trombone...

Agora peguem a pipoca porque a diversão é garantida!!

Verinha se revoltou e divulgou o contrato dizendo que 528 mil é a remuneração para 2 anos de trabalho... o que daria 22 mil ao mês...

Só que o contrato é de 36 meses... ou seja... ela não receberá 528 mil e sim 792 mil.

Ou seja, algo de muito estranho acontece no contrato de Verinha.

A TV Cultura, em resposta aos deputados sobre a acusação de que Vera receberia 500 mil, disse em nota que isso não era verdade já que seu salário, por lei, deveria respeitar o teto que é o salário do governador.

Ou seja, a própria TV Cultura se contradisse... se a lei exige o respeito ao teto, a lei também exige a transparência dos dados.

Para tentar explicar, Vera publica então sua nota fiscal de serviços emitida.

E ao fazer isso Vera entrega uma fraude fiscal cometida por ela e pela TV Cultura com o claro objetivo de sonegar impostos!!

Ela, ao invés de emitir nota de jornalista cuja carga é de 16,30%, emite nota como datilógrafa cuja carga é de 7,65%... sonegando R$ 1903,00 ao mês.

Agora a Receita Federal, o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público estão com a faca e o queijo na mão para jantar a Verinha e a TV Cultura.

Obrigada Vera Magalhães por ser tão burra!!!

(Texto de Flavia Ferronato. Advogada. Coordenadora Nacional do Movimento Advogados do Brasil)

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários