assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Weintraub divulga medidas para o combate ao coronavírus, mas não deixa de fazer chacota com o PT

Ler na área do assinante

Visando ajudar e acalmar a população com relação a pandemia, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou uma lista com medidas tomadas pelo governo Bolsonaro, por intermédio do Ministério da Educação (MEC), para ajudar no enfrentamento ao vírus chinês.

Weintraub usou as rede sociais e, em uma série de publicações, enfatizou que “tem trabalhado para minimizar os impactos do coronavírus”.

Confira a lista apresentada pelo ministro:

1) Gerimos a segunda maior rede hospitalar do Brasil, que são os 40 hospitais universitários da rede Ebserh. Além disso, listo abaixo algumas das principais medidas que estão sendo tomadas no Ministério neste momento.
2) Direcionar os recursos para onde eles são mais necessários. Menos recursos para mestrados em sociologia, por exemplo, para termos mais leitos hospitalares disponíveis no pico da crise. Dinheiro público para atender necessidades públicas.
3) Alimentação dos alunos e famílias. Estamos em diálogo com conselhos estaduais para implementar ações de apoio aos alunos das escolas. São 40 milhões de alunos que não podem ficar sem merenda.
4) Proteção dos alunos. Estamos buscando junto aos estados e municípios formas de flexibilizar o cumprimento dos 200 dias letivos mínimos anuais e buscando alternativas para ensino a distância.
5) Por falar nisso, aumentamos a capacidade da plataforma EAD disponível para universidades e institutos federais adotarem essa modalidade em maior escala.
6) Medida Provisória 924, que abriu crédito de R$ 261 milhões que serão destinados aos Hospitais Universitários principalmente para compra de materiais, medicamentos e para pesquisa.
7) Autorização para os alunos de 5º e 6º ano de medicina, e último ano das demais áreas de saúde (enfermagem, fisioterapia e farmácia), atuarem no enfrentamento da pandemia.
8) Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao MEC, disponibilizou uma ferramenta de registro de diagnóstico on-line de coronavírus em seus pacientes.
9) Antes do fechamento das escolas, destinamos mais de R$ 400 milhões do FNDE para compra de materiais de higiene e álcool em gel para escolas públicas.
10) Publicação de portaria que flexibiliza a educação a distância para o sistema federal de ensino e universidades privadas.
11) Como a maioria das instituições estão fechadas, o MEC prorrogou, por período indeterminado, os prazos das listas de espera do ProUni e do Fies que já estavam em andamento.
12) Nova linha de pesquisa relacionada a epidemias, como coronavírus. A Capes ofertará 2,6 mil bolsas nas áreas de infectologia, epidemiologia, imunologia e pneumologia ainda em 2020.
13) Programa Tempo de Aprender. MEC disponibiliza curso na internet sobre alfabetização para pais e professores. É uma forma de incentivo à leitura no ambiente familiar que tem efeitos positivos no desenvolvimento das crianças.
14) Apenas para não terminar com 13…

Confira:

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários