O Coronavírus e o maior dilema da humanidade: De iate, navio ou de bote todos estão à procura de terra firme

Qual é a diferença entre os caminhoneiros e você, que pode estar em casa agora?

Qual é a sua opinião, sobre receber o seu salário sem trabalhar, mas ter que pagar os funcionários sem estar faturando?

Dois lados. Qual é o mais importante?

O que vale a vida, sem a certeza de um futuro?

A verdade é que não há verdade absoluta e nem nunca haverá.

Não existe lado certo ou errado, existem tentativas de acertos.

A história não nos contou sobre o estrago mundial causado pelo coronavírus, tampouco deixou pistas de como isso poderia ser resolvido.

Qual a origem do problema? Qual é a solução do problema?

Entre o tempo espaço disso tudo, estamos nós.

Nessa história, não há super-herói. Apenas casos que doem e que assustam, seja pela fragilidade financeira ou vitalícia.

Possuímos divisões socioeconômicas, políticas, ideológicas, realidades pessoais, familiares, religiosas e o que mais você quiser atribuir como fatores que formam a sua bagagem de vida até aqui.

Questionamos, insultamos, indagamos, irritamos, concordamos, apoiamos, admiramos, nos aproximamos e nos afastamos na mesma medida de que a posição do outro for interessante - ou não - para mim.

Passamos pano para pessoas/mídias/poderes que nunca se colocariam em nosso lugar.

Outrora, nos afastamos de quem possui os mesmos medos e anseios que os nossos. Humanos.

Como se isso, fosse um atalho para o caminho que todos esperam chegar, juntos, com vida e com recursos básicos capazes de manter a vida/família.

Não é, não será. No mínimo, vai tornar o caminho um pouco mais insuportável.

Respeite quem pensa diferente de você. O momento já tem sido cruel demais por si só e com todos.

Não estamos todos no mesmo barco, mas no mesmo mar, tendo que lidar com a mesma tempestade.

Alguns em iates, navios e outros em botes. Mas todos à espera da terra firme.

Um pouco mais de paz.

(Texto de Ana Caroline Haubert. Estudante de jornalismo da Universidade de Passo Fundo - RS)

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários