Firme e coerente, Moro detona a liberação de presos em meio a pandemia

Nesta segunda-feira, 30, o Estadão publicou entrevista com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. O ex-juiz da Lava Jato critica a liberação de detentos do sistema carcerário em razão da pandemia de coronavírus.

Até o momento, em torno de 1,2 mil presidiários foram soltos.

Segundo Moro, situações como esta devem ser avaliadas com muito cuidado, pois podem impactar na segurança pública e inclusive nos sistemas de saúde.

“Há muitos casos de presos que já não possuem mais uma família para voltar e, para os que possuem doenças como tuberculose, a saída pode representar suspensão de tratamento e contágios familiares graves”, disse.

O ministro ainda destacou ao Judiciário decidir quem deve ou não permanecer preso. Entretanto, na sua opinião os presos devem permanecer nas unidades prisionais e sem acesso a visitantes.

Para Moro, presos com problemas de saúde devem ser segregados e o tratamento mantido nas próprias unidades prisionais.

“Caso sejam soltos, provavelmente terão dificuldades em manter o tratamento, sobrecarregando os sistemas de saúde”, afirmou o ministro.
da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários