A ciência é o novo óleo de peroba (veja o vídeo)

Falar de medidas "com base científica" é só discuso vazio na boca de político cara de pau

Sob o nobre pretexto de salvar vidas, medidas autoritárias e totalitárias vêm sendo tomadas em várias cidades do país. Comércio e igrejas fechados, direito de ir e vir regulado, proibição de protestos. Até velórios estão proibidos e a censura vai sendo imposta a quem discorda dos "especialistas preferidos de parte da imprensa.

Autoridades públicas alegam que tudo é feito com base científica. Mas será que é mesmo?

Em Santos, litoral paulista, por exemplo, a prefeitura fechou a praia e o calçadão. Resultado: as pessoas que se espalhavam numa faixa de 300 metros de largura para manter uma distância segura, agora se concentram em apenas 3 metros de calçada do outro lado da avenida.

Que tipo de gênio faria algo assim? O mesmo tipo que tem reduzido as frotas de ônibus em vários municípios, fazendo trabalhadores dos serviços essenciais se aglomerarem no transporte coletivo?

Entendo que o objetivo é desincentivar a circulação, mas isso já está acontecendo. As pessoas já estão saindo o mínimo possível de casa.

Se é para falar de ciência, primeiro é preciso entender que uma circulação mínima é necessária e incentivada até pelo Ministério da Saúde, para manutenção da saúde. A questão é tomar os cuidados e manter distância entre as pessoas.

Alguém por acaso calculou o aumento de doenças físicas, mentais e psicossomáticas causadas pelo estresse, sedentarismo, imunossupressão e falta de sol para fazer síntese de vitamina D? Alguém calculou quanto isso vai sobrecarregar o sistema de saúde para comparar com os custos de permitir uma mínima atividade? Não! Então, não se trata de ciência.

Falar em "ciência" é mero recurso retórico, assim como dizer que a meta é "salvar vidas" sem dizer quantas, sem contabilizar as outras que serão perdidas pelo confinamento e pela crise econômica.

Então, não se engane. Isso não e ciência. É política, e muito bem feita, pelo menos com base no medo que vem sendo estimulado por parte da imprensa. A ciência é o novo óleo de peroba.

Confira:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários