Sem arrependimentos: Doria sobre troca de elogios com Lula: “Temos que ter grandeza, o coração aberto” (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O coronavírus está sendo revelador. É a chance de políticos oportunistas em prejudicar o presidente da República.

Assim, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador de São Paulo, João Doria, assumiram publicamente esse enlace maligno.

Não bastando o escancarado relacionamento entre o tucano e o petista, Doria reafirmou nesta segunda-feira (6), em entrevista à rádio Jovem Pan, não se arrepender de ter trocado elogios com o ex-detento.

“Nenhum arrependimento. Estamos vivendo a pior crise de saúde pública e econômica do país. Tudo que não precisamos é alimentar antagonismos, precisamos estar juntos para vencer essa crise. [...] Tenho diferenças enormes em relação ao ex-presidente Lula, assim como outros que o sucederam, como Dilma Rousseff, mas não é a hora de antagonismos, nem mesmo com Bolsonaro”, disse Doria.

O governador ainda aproveitou também para criticar os comentários de Bolsonaro, que havia classificado a aproximação de Lula e Doria como “ridícula”.

“Eu lamento até que o presidente insista em estabelecer esse nível de antagonismo que altere seu tom de voz, que faça manifestações até ruidosas e, em alguns casos, até muito pouco elegante e bastante deseducadas. [...] Não é hora de disputas políticas, ideológicas, nem hora de ficar lembrando o passado ou estabelecer condutas visando eleições. É hora de salvar vidas”, salientou o tucano.

E finalizou:

“Temos que ter grandeza, o coração aberto.”

Lula, o responsável pelo maior esquema de corrupção da história do Brasil, coube no coração de Doria. Bolsonaro, sem nenhuma denúncia de corrupção em seu governo, não cabe.

É a questão da má índole...

Confira:

da Redação
Ler comentários e comentar