assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

O Telegram é um espião russo? A resposta é: NÃO! Saiba mais...

Ler na área do assinante

Aos desavisados, tomem muito cuidado com os boatos que estão espalhando por aí... Afinal, a desinformação é a pior inimiga dos bons.

Para quem ainda não sabe, o Telegram foi criado por dois irmãos russos, chamados Pavel Durov (apoiador financeiro e ideológico do projeto) e Nikolai Durov (gênio tecnológico e matemático, que tornou possível o projeto); ambos tiveram que deixar seu país de origem (Rússia), para posteriormente ‘dar vida’ ao Telegram [1]. Desde o dia em que foi criado, eles têm prezado veementemente pela segurança e privacidade do mesmo, e, principalmente dos seus usuários.

Os criadores do Telegram não vivem mais na Rússia há bastante tempo, pois fugiram dela para tornar possível a criação de um mensageiro seguro e, livre de influências governamentais, para tal, chegaram até ‘comprar briga’ com autoridades da Rússia e de países afora, tudo em nome da privacidade e segurança dos usuários, logo mais adiante, explicarei melhor sobre.

O Telegram indiscutivelmente é uma ferramenta de extrema versatilidade e bem superior à outras plataformas populares, cujo qual, muitas pessoas estão aderindo a ele, justamente pela liberdade e segurança que o mesmo dispõe [2]. Inclusive, o aplicativo tem sido bastante utilizado por manifestantes do mundo inteiro para organizar protestos contra governos em diversos países [3][4][5], e por esta razão, autoridades governamentais têm um bom motivo para se preocupar em tentar o tempo inteiro destruí-lo com assassinatos de reputações taxando-o de ‘inseguro’, a exemplo.

Tudo isso porque não suportam saber que nele não há censuras e, tampouco se fazem controle das massas, como ocorre nas demais redes sociais populares, onde limitam ao máximo possível a liberdade de expressão dos seus usuários nelas.

Vale lembrar que, uma das antigas estratégias sórdidas de políticas esquerdistas em dominação das massas consiste em: emplacar falsas narrativas; desinformar; mentir e destruir reputações para consequentemente atingir determinados fins, instaurando o medo na cabeça das pessoas propositalmente, deixando-as inseguras e confusas; — até porque esta é uma das formas implacáveis de se ter um povo mais ‘maleável’, visto que, um povo crítico e organizado é um perigo fatal a quem o teme. Agora, deu para entender que há uma ‘política internacional’ contra o Telegram por outras razões? Pois bem...

Visando preservar a privacidade dos seus usuários, por padrão o Telegram não exibe o número de telefone, dado uma vez que se tem acesso ao número de telefone pessoal, podem usá-ló para rastrear determinado alvo, assim como já vem acontecendo em outras plataformas.

DESCUBRA MAIS

Como havia dito anteriormente, os criadores do Telegram até ‘compraram briga’ com o governo russo, cujo mesmo moveu uma ação nos tribunais da Rússia para obrigá-lós a ceder a um pedido de “colaboração” com informações sigilosas — mas, resistentes que sempre foram, os seus criadores, prontamente negaram acesso a tais privilégios [6].

E, justamente por não terem acatado as ordens do Estado russo, o Telegram foi multado e bloqueado em todo o território da Rússia [7], como forma de punição — caso os criadores ainda residissem lá, as penas judiciais iriam cair sobre eles da mesma forma, podendo ir até presos; exatamente o que você acabou de ler, eles já enfrentaram e resistem fortemente às pressões de governos e, inimigos que tentam cercear a liberdade e privacidade de quem usa o Telegram.

Entretanto, os russos não foram os únicos a tentar aparafusar os criadores do Telegram. Aparentemente, os americanos também já quiseram uma parte da ação, o FBI também já tentou pressioná-los a cooperar secretamente com a agência — quando passaram pela América —, quiseram tentar subornar um dos seus engenheiros para se tornar uma “toupeira”. Mas, pela experiência em resistência às chantagens autoritárias governamentais, não conseguiram lograr êxito em suborná-lo [8].

Fato é que, até hoje, o Telegram não possui um ponto fixo, pois seus criadores vivem migrando de país em país; — assim que são pressionados, eles pedem exílio em outras nações, de modo a fugir das pressões impostas para que eles forneçam informações privilegiadas do Telegram a terceiros.

Hoje, os ‘pais’ do Telegram vivem exilados no exterior, precisamente em Dubai é que fica a sede do Telegram, no entanto, eles mesmo dizem que: se outras autoridades governamentais ousarem a tentar fazer o mesmo que a Rússia fez no passado, eles estão dispostos a mudarem-se de país mais uma vez, afim de resguardar a integridade e reputação que o Telegram conquistou ao longo de sua trajetória, que foi em ser um mensageiro seguro e que preza pela privacidade dos seus usuários.

Isto mesmo que você acabou de ler. O Telegram não possui nacionalidade!

Caso se curvassem a esses governos autoritários, hoje o Telegram já teria ruído ao pó, e não seria mais ‘um dos’, senão ‘o mensageiro’ mais procurado e querido por pessoas ao redor do mundo que o buscam para ‘driblar’ censuras em seus países, como acontece na Rússia, China, Irã, Turquia, Coréia do Norte entre outros países comunistas e totalitários.

O Telegram pensa em seus usuários e não é pouco, pois mesmo sendo bloqueado em países totalitários, há quem consiga usá-lo, mas, isso só é possível com a ajuda de VPNs e Proxies, que o próprio Telegram acrescentou dessas funções ao mensageiro, cujo qual, dá aos seus usuários o ‘poder’ de burlar eventuais restrições nesses países.

Em contrapartida, o WhatsApp a exemplo, é o mais querido por governantes de países comunistas e totalitários. Veja que, nas próprias “Políticas” do WhatsApp, a própria empresa deixa claro que podem “colaborar” com as autoridades, quando contatados por elas [9], talvez, por essa razão que o adoram.

Já o Telegram é veementemente odiado por esses governos, imagine aí o porquê... pois é, porque no Telegram eles não têm controle, e também por ser muito mais rígido com relação ao fornecimento de dados das contas [10]. E, por isso, não é à toa que seus criadores são orgulhosos de terem compartilhado “0 Bytes” de informações privadas com terceiros, isto mesmo: ZERO. Pena que não dá para falar o mesmo das demais plataformas populares.

Já tirem as suas conclusões daí: qual mensageiro de fato realmente não é tão seguro?

Bom, eu já desinstalei o meu WhatsApp faz tempo, espero que um dia — você que está lendo isto — possa se libertar daquele verdadeiro ‘cavalo de Tróia’ do seu celular também [11][12].

“A arma do covarde é a boca; porém, a arma do justo é a conduta”.

(Texto de Antônio Douglas)

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários