O sítio ‘de amigos’, as visitas constantes e as diárias para os seguranças

Além do insólito caso do triplex, a questão do sítio em Atibaia está avassaladora sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


Neste caso, a retórica é a mesma: ‘este sítio não é meu’.

Os enormes rastros são quase que indiscutíveis.



Entre 2012, quando deixou a presidência, e janeiro deste ano, Lula contou com sua segurança pessoal por 111 vezes em Atibaia, provavelmente frequentando o paradisíaco sítio onde a Construtora Odebrecht gastou R$ 700 mil em reformas.

Reportagem exibida pela revista ‘Época’, demonstra com clareza e documentalmente, que sete servidores públicos fizeram parte da segurança do ex-presidente e, para tanto, receberam ao longo desse período 968 diárias da presidência, custando R$ 189 mil aos cofres públicos.(veja aqui)

Parece que agora pouco importa a propriedade do sítio – que no papel está em nome de um amigo de Lula e do sócio de um dos filhos dele, Fábio Luís – o fato relevante e que deve ser investigado, é se a  Odebrecht reformou o sítio com dinheiro do ‘Petrolão’, para atender a Lula e a pedido de Lula.

As respostas virão rapidamente. É só aguardar mais um pouco.

Aliás, todo mundo já sabe a resposta...

da Redação

                                            https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política