Bumlai, o melhor amigo de Lula, perde mais uma e segue preso

O STF, através da sua 2ª Turma, referendou a decisão do ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato na Corte, que no dia 09 de dezembro de 2015 negou habeas corpus ao pecuarista José Carlos Bumlai.


Preso na 21ª fase da Operação Lava Jato, Bumlai alegava que sua prisão era ilegal.

Bumlai  era amigo íntimo de Lula. O pecuarista em Brasília hospedava-se na casa do ex-presidente e tinha trânsito livre no Palácio do Planalto.

Na realidade, quando Lula chegou a presidência, Bumlai já era um homem extremamente rico, pecuarista e empresário, respeitado e admirado.

Porém, o que se vê com absoluta clareza, é que Bumlai, de fato, obteve favorecimentos pessoais no governo de Lula, mas em contrapartida atuou como agente financeiro do ex-presidente em diversas situações, inclusive no caso da prefeitura de Santo André, quando o prefeito Celso Daniel foi assassinado.

O pecuarista continuará cumprindo prisão preventiva na superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça