O saldo mais negativo da demissão de Moro, fica para Lula

Ler na área do assinante

Lula está mudo.

O falastrão não se manifestou sobre os últimos acontecimentos do governo Bolsonaro.

Lula está perdido.

A saída do governo do homem que o colocou na cadeia tem dois saldos altamente negativos.

Um, jurídico. Outro, político.

A tese sobre a suspeição do ex-magistrado no caso do triplex, agora está ainda mais enfraquecida.

Gilmar Mendes, que certamente já estava com toda a sua argumentação pronta, terá que mudar o conteúdo de seu voto.

Moro não está mais no governo.

A rigor, Gilmar fica sem argumento.

Celso de Mello, a incógnita, o possível voto de desempate, agora dificilmente embarca na estratégia de Gilmar.

É só aguardar.

Na questão política, é tudo muito simples.

Moro tomou gosto pela coisa.

Sua legião de seguidores, indiscutivelmente, é pensante, numerosa e ativa.

Vislumbra-se doravante uma polarização na política entre o presidente e o ex-juiz. Aliás, ela já está acontecendo, em sua plenitude.

O PT e a esquerda estão fora.

Acabou para Lula e para todos os demais que sonhavam com alguma pretensão presidencial em 2022.

O embate agora é Bolsonaro versus Moro.

Quem viver verá!

da Redação
Ler comentários e comentar