As máscaras do autoritarismo: Tudo começa com uma "máscara" (veja o vídeo)

"Aqueles que renunciam à liberdade em troca de promessas de segurança acabarão sem uma nem outra."

A Prefeitura de Santos(SP) tornou obrigatório o uso de máscaras na cidade. A multa é de R$100 para os cidadãos e R$3 mil para empresas.

A primeira pergunta que faço é: só agora a "ciência" descobriu que máscaras são importantes? Não tem nenhum especialista na prefeitura com competência para falar sobre isso? Se é preciso esperar recomendações da ONU ou de João Dória para promover uma atitude tão simples, por que pagamos salário a tantos especialistas?

A segunda pergunta é: por que a obrigatoriedade? E não adianta dizer que é pelo bem coletivo. Aceitar esse pressuposto é um caminho sem volta. Pois uma coisa é você usar máscara porque acha melhor, como eu faço. Outra é admitir que governantes controlem a tua vida nesse nível de detalhe, determinando o que você deve fazer para ter o direito de sair na rua.

Infelizmente, muita gente já aceita o controle estatal de forma bovina, achando normal denunciar vizinhos e ver gente sendo presa só porque quis andar na rua. As pessoas esquecem, ou não sabem, que os regimes mais sanguinários foram instaurados em nome de um bem coletivo e contaram, inicialmente, com o apoio de quem achou que nada demais estava acontecendo.

É óbvio que não estou sugerindo que algum prefeito pode se tornar um ditador, mas é clara a tendência autoritária no mundo todo - sob o pretexto de proteger as pessoas do coronavírus - e isso pode se acentuar facilmente diante da crise humanitária que se aproxima.

A história mostra que sempre que as sociedades aumentam muito o poder dos governantes, isso não costuma acabar bem. Por isso, a vantagem da democracia é justamente distribuição de poder, para que ele nunca se acumule muito nas mãos de quem quer que seja.

Então, cuidado. Como disse George Orwell, no clássico A Revolução dos Bichos: "Aqueles que renunciam à liberdade em troca de promessas de segurança acabarão sem uma nem outra."

Confira:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários