Após interferência do STF, Bolsonaro cancela nomeação de Ramagem, mas diz que não desiste de seu nome para a PF

Após a liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF),Alexandre de Moraes, suspendendo a nomeação de Alexandre Ramagem, para o cargo diretor-geral da Polícia Federal, o presidente da República Jair Messias Bolsonaro, suspendeu o ato.

Segundo o ministro do STF, existe um “desvio de finalidade” na decisão do presidente.

A posse oficial de Ramagem seria nesta quarta-feira, 29, às 15h, juntamente com o novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Luiz Mendonça.

Agora, ao que tudo indica, Ramagem voltará ao seu posto de diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Bolsonaro deve indicar um novo nome para chefiar a PF.

A Advocacia-Geral da União (AGU) já informou que não vai recorrer da decisão.

É lamentável que o governo se curve a essa esdrúxula interferência do Judiciário, ainda mais em se considerando que se trata de uma decisão monocrática.

Em pronunciamento na tarde desta quarta-feira, Bolsonaro, reiterou que não irá desistir da nomeação de Ramagem.

“Eu gostaria de honrá-lo no dia de hoje dando-lhe posse na Polícia Federal. Um homem à altura de representar e de ser o chefe da segurança do chefe da Presidência. Creio essa ser uma posição honrada para o senhor Ramagem. E gostaria de honrá-lo no dia de hoje dando-lhe posse como diretor-geral da Polícia Federal. Tenho certeza que esse sonho meu e mais dele brevemente se concretizará, para o bem da nossa Polícia Federal e do nosso Brasil.”
da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários