Somos maiores que isso...

Moro se foi. A grande e maior de todas as perguntas pode ser formulada com duas palavras: "E daí?"

Eu sofri. Sofri vendo um país gigante, rico em recursos minerais, rico em belezas naturais, livre de catástrofes como tsunamis e terremotos, sendo espoliado e açoitado dia e noite por uma quadrilha travestida de "partido".

Sofri vendo as nossas estatais, - nosso patrimônio - sendo abordadas por piratas inescrupulosos que transformavam seus ativos em butins.

Sofri vendo dinheiro sendo mandado pra fora pra construir portos, metrôs, pontes e etc, enquanto os nossos irmãos brasileiros morriam nas portas dos hospitais por falta de atendimento, e médicos se desesperavam pela falta de condições de trabalho.

Sofri vendo obras bilionárias e superfaturadas servindo de dutos para escoamento de dinheiro para empreiteiras, e em seguida para os políticos que enriqueceram às custas do nosso suor. E muitas dessas obras nem acabadas foram, ou foram mal feitas.

Eu sofri por ver que nesse país tão rico, a corrupção havia virado uma instituição que tinha um partido em toda a sua diretoria.

Durante esses anos todos eu lutei muito contra isso. Fui mais uma formiguinha na luta contra isso. Mais um ilustre desconhecido que produzia textos e mais textos, alguns que até viralizaram e alcançaram outros países. Mas não deixei de ser a formiguinha. Só que lutei muito.

O que hoje me dói é, depois de tanta luta em anos de noites perdidas escrevendo, e tanto trabalho de todos aqueles que assim como eu lutaram para mudar aquela realidade, ver nossos irmãos da direita entrando em conflitos uns com os outros por causa de Moro e Bolsonaro. Causando uma fissura que pode trazer de volta todo aquele pesadelo que vivemos e contra o qual eu também lutei.

Sejamos sensatos. Sejamos inteligentes. Ninguém falou que seria fácil, ninguém falou que seria tudo perfeito. Há defeitos e há qualidades no atual governo, mas o principal é que nós, brasileiros e de direita, não podemos nos desunir agora por conta disso. Não é hora!

Todos nós somos eleitores, e se quando chegar as eleições você não estiver satisfeito com o atual Presidente, vote em outro que você achar que melhor te representa! É um direito seu! Mas lembre-se que no momento estamos em pleno exercício de mandato e não em pré-campanha ou campanha. Pra quê racharmos agora e fortalecer os que combatemos, dando a oportunidade de fazer o país retroceder e voltar para as mãos dos nossos piores inimigos - dos inimigos da nação?

Queridos, acabem com isso de Moro é isso e aquilo, Bolsonaro é isso e aquilo... Parem com essa bobagem! Pensem grande! Pensem no país, que está acima do Moro e do Bolsonaro. Vamos lutar juntos pra esse governo dar certo ao máximo, até para nos preservar. Esse é o mínimo que podemos fazer. Não adianta polarizarmos agora. Se nos dividirmos em "moristas e bolsonaristas" não haverá ganhadores. Todos seremos perdedores de um jeito ou de outro.

A divisão enfraquece o governo. Com a divisão cai o apoio popular ao governo, nossa economia vai para o buraco (mais do que com o corona); O nível de desconfiança de investidores externos aumenta, os investimentos diminuem, bolsa despenca, dólar sobe, empresas fecham as portas, aumenta o desemprego, em vez de sairmos de uma crise, aprofundaremos a que temos. E aí? Você vai ficar feliz com isso? Seus filhos ficarão melhores com isso? Só pra bater no peito e ter o orgulho besta de bancar o gostosão e dizer "eu estava certo"?

Não importa se "moristas" ou "bolsonaristas", ninguém se salvará. Todos iremos para o buraco e sair dele vai ser UMA "M" FEDERAL! Com isso alimentaremos as narrativas da esquerda e não abriremos uma brecha e sim um túnel, uma boca de vulcão para os bandidos que combatemos voltarem ao governo, com aquele papinho de "moralização" que terminou em loteamento de cargos, destruição das estatais, mensalões e a instalação do foro de São Paulo aqui. Você vai ficar feliz com isso?

O que é que vai adiantar a gente ficar julgando o Moro ou o Bolsonaro agora? Diz aí do alto da sua sapiência, que eu, burrinho, vou abrir minhas orelhas pra aprender. Eu sou o burrinho que está preocupado com o país, com o futuro imediato da nação. Temos uma crise econômica se agravando por conta de uma pandemia, temos governadores em dissonância com o governo, temos empresas fechando, temos pessoas ficando desempregadas, temos famílias sofrendo com isso, temos gente morrendo, temos um Congresso dirigido por bandidos, temos um STF ordinário, e temos redes sociais criando ambiente de discórdia entre pessoas do mesmo lado. A última coisa que me preocupa nesse mundo é o que um disse e o que o outro disse. Gente EXISTE UM BRASIL ACIMA DISSO e estamos todos à bordo dele.

Não importa quem disse que existe um rombo no casco. Vamos tapar o rombo senão o barco vai afundar e vai todo mundo para o mesmo buraco, fui claro?

Eu não tenho o Bolsonaro como um ídolo. Já falei e repito, eu não tenho idolatrias por políticos e nem sou tiete ou fanzoca. Eu tenho o meu país como ídolo e objetivo. Eu não sou bolsonarista. Sou BRASILEIRO E PATRIOTA. Mito pra mim é a minha Nação (com N maiúsculo). Políticos são sazonais. Aparecem e somem. Meu país será minha pátria até depois que eu morrer, porque nela serei sepultado.

É o Bolsonaro quem vai tocar o barco do país, e definir seus rumos? Ótimo! Tem meu total apoio e vou procurar ajudar no que for preciso, não por ele, pelos filhos, pelo Olavo ou outros "idolos" dos idólatras. É por você, meu amigo. É por sua família! É por mim! É pela minha PÁTRIA, que está acima de tudo e de todos.

Então, vamos parar de brigar. Vamos pensar no país acima de tudo. E quando eu falo pensar no país, quero dizer agir com serenidade, com estratégia e não deixar a emoção tomar conta, ou ser dominado pelo espírito de torcida. O Brasil que eu quero e que você quer não precisa disso.

Agora sim eu gostaria que vocês provassem que quando falavam "BRASIL ACIMA DE TUDO" estavam falando a verdade. Ou pra você o Moro ou o Bolsonaro é que estão acima de tudo, até do Brasil? Que eu me lembre, quando nasci não existia nenhum dos dois na política e existia um país que eu amo, e que é o meu chão e o meu céu.

Presidente, conte comigo como fiel soldado. Como eu disse, não pelo senhor, porque eu não sirvo a homens com base no quem eles são, e sim a um exército de gente do bem que defende uma nação e obrigatoriamente ao comandante - pelo que ele está - e enquanto ele estiver ao lado da minha pátria. Não pelo que chamam de "mito", mas pelo Brasil e por milhões de brasileiros que merecem um país melhor. Meu mito é o Brasil.

Direita, vamos nos unir agora para não perdemos o que conquistamos até aqui.

Reflitam!

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários