Inimigos de Bolsonaro perderam a capacidade de avaliar corretamente a realidade (veja o vídeo)

A capacidade de avaliar corretamente a realidade não parece ser um dos atributos dos inimigos de Bolsonaro.

Talvez - e provavelmente - ainda acreditando na impunidade usufruída desde os bons tempos do final do regime militar, a politicalha viciada em privilégios já não consiga se adaptar aos novos tempos.

Nem entender o que se passa.

Essa nova realidade - e não me refiro apenas à tecnologia, internet - que trouxe o surgimento de um líder, Jair Bolsonaro é, certamente, resultado dos erros cometidos por velhos dinossauros rastejantes da velha política, como Fernando Henrique Cardoso.

O grande e marcante erro de FHC foi confiar num escroque sindicalista, Lula, para ser seu parceiro no plano para venezuelar o Brasil.

Durante algum tempo, apesar das denúncias de corrupção que pipocaram e deixaram evidente a vocação petista para o arrombamento dos cofres públicos - como o mensalão - o plano deu certo.

Com um judiciário comprado e ao seu dispor, não era difícil para lula et caterva tocarem o barco, com impunidade garantida e dando uma banana para o povo e para a democracia.

Senadores, deputados e o resto da politicalha nadaram de braçada de 2002 á 2018, enchendo cuecas e apartamento com grana afanada do povo que trabalhava.

Até que foi a vez de Lula, o embusteiro, cometer seu erro fatal.

Ao colocar seu poste no poder, a triste e desarticulada Dilma Roussef, Lula iniciou o processo que acabou levando seu partido - e seus sonhos sociopatas de poder - para a lata de lixo.

Dilma não tinha lá grande capacidade mental, mas tinha uma enorme ambição, e acabou gostando do poder, frustrando os planos do escroque e de toda a matilha.

O prego no caixão - e o segundo erro enorme de Lula - foi a de subestimar o povo brasileiro e a avaliação errônea da realidade em 2018, ao colocar outro poste com poucos neurônios ou capacidade política para disputar a presidência com o então deputado Bolsonaro.

Bolsonaro, na avaliação petista e da quadrilha que circulava ao seu redor era um azarão.

Não podia ganhar.

E Haddad não poderia perder.

Deu tudo errado para eles, como se sabe.

Surpresos e atônitos com a vitória de Bolsonaro, ainda imaginaram que nos próximos meses poderiam reverter a situação para que tudo voltasse a ser como dantes no quartel de abrantes.

Afinal, especialistas em corrupção, imaginavam que o velho provérbio e fundamento do petismo, ‘todo homem tem seu preço’, serviria também para Bolsonaro.

Não serviu.

Hoje, desesperados - vide globolixo - estão quase entendendo que não podem pagar o preço de Bolsonaro.

Porque a moeda é outra, uma moeda que jamais possuíram.

Patriotismo, caráter, idoneidade e trabalho são valores que jamais tiveram ou quiseram ter.

O seu dinheiro imundo, ou troca de poder não vale nada para Bolsonaro.

O povo, para seu azar, cansado dos velhos ratos políticos já percebe isso claramente.

Por isso, e justamente por isso votou em Bolsonaro em 2018.

Fraude eleitoral ou toneladas de dinheiro jogadas na campanha de Haddad de nada serviram.

Os playboys do socialismo de buteco perderam.

Não é de se estranhar, portanto, que a popularidade do presidente, atacado por todos os lados pelos abutres da imprensalha comprada, e sofrendo a perseguição implacável de seus inimigos e traidores, permaneça intocável.

Ou cresça.

A realidade das ruas não é o que sonham em delírio os institutos de pesquisas fajutos como o Datafolha.

Fato: Bolsonaro jamais, presidente ou não, se esqueceu do povo.

Dos mais de 57 milhões que lhe deram o voto de confiança para mudar o país.

Esse é o fator fundamental e a base forte do presidente, e coisa que a politicalha ainda não conseguiu assimilar completamente.

Além disso, ao lado de Bolsonaro está a classe militar, também, por tradição, afeita aos valores morais e de caráter.

Nessa luta encarnecida, há um vencedor provável.

Manifestações como a de Brasília há dias mostram que a base fiel do presidente continua inalterada, forte, e crescerá.

Em quem vocês apostam?

Veja o vídeo:

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários