MBL sai do armário e admite fazer campanha com a esquerda para derrubar Bolsonaro

A pandemia de coronavírus está servindo para depurar a classe política e fazer com que certas predileções que permaneciam escondidas, gradativamente apareçam.

Uma demonstração disso é o Movimento Brasil Livre (MBL), que na semana passada protocolou um pedido de impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Secretaria-Geral da Câmara dos Deputados.

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos fundadores do MBL, afirmou que ainda não conversou com líderes partidários sobre o apoio ao pedido de impeachment, mas deixou em aberto uma aliança com a esquerda com esse objetivo.

“Faria campanha com a esquerda. Se o objetivo é comum, qualquer um que faça manifestações é bem-vindo”, disse.

Segundo Kataguiri, todas as pessoas de qualquer vertente ideológica estão convidadas a pedir “Fora Bolsonaro”.

O MBL não mudou de ideia, nem de ideologia, apenas deixa aflorar o que sempre tentou esconder, o esquerdismo na sua cúpula.

Por isso o movimento está esvaziando de maneira avassaladora.

Kim caminha para ser um deputado de apenas um mandato.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários